Moçambique

Presidente moçambicano defende reformas no setor do turismo

O presidente moçambicano, Filipe Nyusi, defendeu a aposta nas reformas no turismo, para tornar o país num destino privilegiado para os turistas nacionais e estrangeiros.

Filipe Nyusi elencou algumas medidas em curso em Moçambique para a dinamização do setor do turismo

ANTÓNIO SILVA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O presidente moçambicano, Filipe Nyusi, defendeu esta quinta-feira em Maputo a aposta nas reformas no turismo, para tornar o país num destino privilegiado para os turistas nacionais e estrangeiros.

Filipe Nyusi elencou algumas medidas em curso em Moçambique para a dinamização do setor do turismo, quando falava na abertura da IV Edição da Feira Internacional de Turismo de Maputo, que se iniciou esta quinta-feira.

O chefe de Estado moçambicano apontou a harmonização da taxa de visto de fronteira, em linha com os outros países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), e a introdução do visto de fronteira em 44 postos de travessia, como medidas de vulto para a promoção do turismo.

A abertura do espaço aéreo a mais operadores, para a redução do custo de viagem, oferecendo mais opções e com maior regularidade, é um dos avanços que o país empreendeu para galvanizar o setor turístico”, declarou Filipe Nyusi.

O Presidente moçambicano assinalou que os operadores turísticos e o Governo devem intensificar o diálogo visando identificar as barreiras ao desenvolvimento do setor do turismo, para que esta área aumente o seu potencial de geração de receitas e de empregos.

Dezenas de empresas do setor da hotelaria e restauração, bem como agências de viagens estão representadas na IV Edição da Feira Internacional de Turismo, que arrancou na capital moçambicana.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Catalunha

Não é independente quem quer

Jorge Pereira da Silva

No actual quadro, que Estados poderão reconhecer a Catalunha como um Estado independente? Se excluirmos porventura alguns Estados párias, a resposta é simples: nenhum. Vale a pena perceber porquê.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site