Taça de Portugal

Sérgio Conceição admitiu “objetivo pessoal de vencer Taça de Portugal”

Sérgio Conceição admitiu o desejo pessoal de vencer a competição. O FC Porto joga esta sexta-feira com o Lusitano de Évora - no Estádio do Restelo.

Sérgio Conceição esteve na final da Taça como treinador e venceu a competição como jogador

SEBASTIEN NOGIER/EPA

O treinador do FC Porto disse esta quinta-feira que tem o “objetivo pessoal de ganhar a Taça de Portugal” em futebol e, por isso, a equipa “tem que jogar com ambição” para superar o Lusitano de Évora.

Sérgio Conceição sublinhou ainda que o FC Porto vai encarar o jogo de sexta-feira, da terceira eliminatória, com a maior seriedade e que para ganhar os jogadores terão que trabalhar ao máximo.

Quero ganhar esta competição. Estive na final como treinador e tive a oportunidade de ganhar como jogador. É uma competição fantástica, com um ambiente fabuloso. Tenho esse objetivo pessoal e acho que todos também deveriam ter”, começou por referir o treinador.

Sérgio Conceição alertou, no entanto, para os perigos que os jogos de Taça costumam trazer, na forma como são encarados.

“Os jogos da Taça são perigosos, porque há uma motivação muito grande do adversário. Vamos ter que ser muito sérios para conseguirmos vencer. Podem pensar que quem joga com o Lusitano ou com equipas da distrital tem a vida facilitada, mas não”, justificou.

Nas últimas duas semanas, o FC Porto esteve a trabalhar desfalcado devido às ausências de vários jogadores, que estiveram ao serviço das respetivas seleções, um cenário, segundo o técnico, de dias mais complicados na rotina dos ‘dragões’.

“A ausência de jogadores para as seleções condiciona muito aquilo que são os nossos trabalhos, mas trabalha-se noutras vertentes, faz-se um trabalho diferente do que quando está o grupo todo. Vou escolher o melhor ’11’ para este jogo, olhando ao desgaste destas situações”, referiu.

Sérgio Conceição fez ainda referência ao facto de o FC Porto ter renovado com Aboubakar e não escondeu a satisfação.

“Fico contente. Era uma das prioridades do clube. Renovar com um jogador que tem potencial e que pode ser muito útil no presente e no futuro”, disse.

O técnico aproveitou ainda o momento para considerar “ridículo” o facto de Juan Carlos Osorio, treinador do México, se ter mostrado preocupado com a condição física de alguns jogadores portistas que são menos utilizados, como Diego Reyes e Miguel Layún.

“Temos um plano individual para cada jogador. O Reyes tem como todos os outros um plano para ele, com apoio de um fisiologista e um nutricionista. O treinador do México não pode esquecer que, no jogo em que os quatro jogadores do FC Porto atuaram, o Corona foi o melhor em campo, o Herrera fez um golo e o Layún uma assistência. Ficava-lhe melhor dizer obrigado ao FC Porto pelos jogadores. A imprensa do México pode pegar nas minhas palavras à vontade, não tem problema algum”, frisou.

O FC Porto joga esta sexta-feira com o Lusitano de Évora, no Estádio do Restelo (20:15), casa ‘emprestada’ da equipa alentejana, numa partida relativa à terceira eliminatória da Taça de Portugal e que terá arbitragem de Hélder Malheiro, da Associação de Lisboa.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site