Assédio Sexual

“O tempo de Woody Allen acabou” e a filha adotiva vai falar sobre a alegada violação

215

Dylan Farrow, filha adotiva de Woody Allen, deu uma entrevista ao canal norte-americano CBS, para falar da altura em que o realizador alegadamente a violou. A conversa é emitida esta quinta feira.

Dylan Farrow e a mãe, Mia Farrow

Getty Images for Time

“O tempo de Woody Allen acabou” dizem várias atrizes que esta semana estiveram numa mesa redonda com a apresentadora de televisão norte-americana Oprah Winfrey. Dylan Farrow (filha adotiva de Woody Allen) deu uma entrevista ao canal CBS para falar, pela primeira vez, sobre a altura em que o realizador de cinema alegadamente a violou. A entrevista é exibida esta quinta-feira, 18 de janeiro.

Ao início da semana, numa mesa redonda organizada por Oprah, a atriz Natalie Portman disse que acreditava na filha adotiva de Woody Allen, e também personalidades como Reese Witherspoon, Shonda Rhimes, Nina Shaw, América Ferrera ou Tracey Ellis Ross manifestaram o seu apoio a Dylan Farrow.

[excerto da mesa redonda conduzida por Oprah Winfrey:]

A filha adotiva do realizador acusa o pai adotivo de a ter violado quando tinha apenas sete anos, mas esta acusação foi sempre negada por Allen.

Já vários atores se afastaram de Woody Allen desde o início do alegado escândalo sexual que envolve o realizador. Esta semana, Timothee Chalamet anunciou que vai doar o salário que recebeu por participar no filme de Woody Allen com estreia marcada para este ano, “A Rainy Day in New York”, adianta o The Guardian.

A BBC avança que o realizador já foi investigado nos anos 90, depois de a filha adotiva o ter acusado de violação. A justiça norte-americana, na altura, decidiu não punir o pai adotivo de Farrow, que sempre negou todas acusações e apontou a ex-namorada Mia Farrow como autora dos “boatos”.

Em pequenos excertos da entrevista que será emitida esta quinta feira, e que foram publicados no Twitter do canal norte-americano CBS, Dylan Farrow voltou a chamar a Woody Allen de “predador”, mas não se ficou por aqui: “É importante que as pessoas percebam que uma vítima, uma pessoa acusada, interessa, e é o suficiente para mudar as coisas”.

[promo à entrevista de Dylan Farrow à CBS:]

No entanto, apesar da acusação de Farrow, há quem defenda Woody Allen. O jornal The Guardian avança que Alec Baldwin, que trabalhou com o realizador algumas vezes, já manifestou o seu apoio. Baldwin diz que aquilo por que Woody Allen está a passar é “injusto e triste” e que a investigação criminal que foi feita sobre o realizador não produziu acusações.

Dylan Farrow é irmã do jornalista Ronan Farrow, cujas notícias acabaram por dar voz às acusações de comportamento inapropriado feitas contra o também realizador Harvey Weinstein.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Feminismo

As mulheres do Presidente

Luis Carvalho Rodrigues

Para as feministas mulheres que aceitam a “objectificação" sofrem de “misoginia interiorizada” (uma versão do proletário alienado pelo capitalismo) e devem ser salvas. Se preciso contra a sua vontade 

Crónica

Quatro grandes questões do nosso tempo

Alberto Gonçalves
1.055

Não sei se o sr. Costa tem azar com as limitações de quem lhe escreve os discursos, ou se ele escolhe deliberadamente burgessos. Sei que exaltar a língua enquanto a torturamos com zelo tem a sua piada

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site