Empreendedorismo

Tecnologia portuguesa a caminho dos EUA

271

A Displr, Followprice, WeTruck e a Xhockware são as startups portuguesas selecionadas para participar no programa de aceleração de seis semanas da Carnegie Mellon University, nos EUA.

As startups são baseadas em ideias de negócio focadas na criação de novas aplicações e soluções tecnológicas

Jonathan Ferrey

A Displr, Followprice, WeTruck e a Xhockware estão de malas feitas para Pittsburgh, nos Estados Unidos da América. As quatro startups portuguesas foram selecionadas para participar na mais recente iniciativa do Programa Carnegie Mellon Portugal, lançada em março, o inRes – Entrepreneurship in Residence, que inclui um programa de aceleração de seis semanas. O workshop de lançamento tem início esta quinta-feira, 12 de junho.

“As quatro equipas selecionadas apresentam ideias de negócio focadas na criação de novas aplicações e soluções tecnológicas, relevantes do ponto de vista da competitividade e do valor acrescentado para empresas e utilizadores finais,” avança João Claro, diretor nacional do Programa CMU Portugal, em comunicado.

O programa começa com uma fase de formação intensiva em Portugal e segue para um período de imersão em Pittsburgh e na Carnegie Mellon University, onde as equipas poderão contar com o apoio de grupos de investigação e especialistas, aceder a redes globais de empreendedores, parceiros, potenciais clientes e investidores, entre outros.

O inRes é financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia e apoiado pelo conselho de reitores das universidades portuguesas, em parceria com a universidade norte-americana Carnegie Mellon, a Pittsburgh Regional Alliance e a UTEN Portugal.

Os projetos selecionados atuam na área das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), sendo que a Displr é um spinoff da Universidade do Minho, a Followprice é apoiada pelo programa Bluestart da Portugal Telecom, a WeTRuck é um projeto pré-incubado no UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto,  e a Xhockware é a startup responsável pelo lançamento do SmartShopping, um sistema que promete efetuar o pagamento de um carrinho de compras completo em menos de um minuto.

O inRes é financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia e apoiado pelo conselho de reitores das universidades portuguesas, em parceria com a universidade norte-americana Carnegie Mellon, a Pittsburgh Regional Alliance e a UTEN Portugal, um programa criado em 2007 pelo Governo português e o  IC2 Institute, da Universidade do Texas, em Austin, nos EUA.

“O inRes vai ajudar a fortalecer e a consolidar as competências de gestão de equipas empreendedoras de startups de base tecnológica, dado que as exporá a ambientes internacionais altamente competitivos”, adianta João Claro, acrescentando que, em sete anos de parceria entre universidades e laborátorios de investigação portugueses, empresas e a Carnegie Mellon University, foram criadas dez startups.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)