Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A produção de cereja deverá cair 10% em em 2014, diz o Instituto Nacional de Estatística (INE) nas previsões agrícolas reveladas esta sexta-feira. As chuvas do final de maio e as elevadas amplitudes térmicas registadas na fase da floração e polinização da cereja foram responsáveis pela descida face a 2013. Desde 2011, esta produção já desceu 32,2%, devendo registar em 2014 uma produção abaixo das duas toneladas por hectare.

O tomate deverá crescer 20% e esperam-se aumentos também nas produções de batata e dos cereais de outono/inverno, com as estimativas do INE a apontarem para uma subida de 10% no trigo duro, 25% no trigo mole, 35% no triticale, cevada e aveia e de 5% nas batatas de regadio e de sequeiro. Já o rendimento unitário do pêssego deverá crescer 25%.

O aumento na plantação de tomate resulta dos estímulos promovidos pela indústria, diz o INE, e das perspetivas favoráveis de escoamento da produção para Espanha.

A área semeada para a produção de milho e de arroz também deverá diminuir face a 2013, com descidas a rondarem os 5% e os 10%, respetivamente. Em causa estiveram os encharcamentos dos terrenos, que atrasaram a preparação dos solos para a sementeira do milho e as obras de melhoramento no Bloco de Maiorca, no baixo Mondego, que condicionaram as áreas disponíveis para a cultura do arroz.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR