Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

É conhecida pelo seu sentido de humor e por ter os pés bem assentes na terra. Talvez por isso não seja surpresa o tipo de declarações que deu à revista Glamour. Anna Kendrick, estrela do filme Um Ritmo Perfeito — a sequela vem a caminho –, desvalorizou o seu aspecto físico e garantiu que não depende dele para alcançar o sucesso: “A aparência nunca foi a minha máquina de fazer dinheiro. Não me preocupa ser pequena (…) E estou feliz por não ser suposta estar sempre na lista das 50 [mulheres] Mais Bonitas, porque isso seria… muito stressante”.

Aos 28 anos, a atriz norte-americana dá destaque ao talento, em detrimento da imagem, mesmo sendo capa da edição de julho da Elle. À publicação disse sentir-se uma sortuda por nunca ter tido uma crise, isto é, nunca pensou que a única razão por ser bem sucedida fosse o seu aspecto. “Não é uma coisa que passa pela cabeça”. A respetiva publicação feminina, por seu turno, descreve a estrela como multifacetada: desde atriz a cantora e joking sensation, “a caminho da supernova”.

Para quem está mais esquecido, Kendrick conseguiu a sua primeira nomeação para um Óscar de melhor atriz secundária com o filme Nas Nuvens (2009): tinha apenas 24 anos. O sucesso seguinte foi com a canção Cups, à qual dá voz e vida. A música faz parte da banda sonora do filme Um Ritmo Perfeito e passou 44 semanas na lista Hot 100 da Billboard. E há mais: em abril estreou-se no programa televisivo Saturday Night Live, causando sensação, e na conta do Twitter tem mais de 2.5 milhões de seguidores.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Apesar de o sucesso surgir-lhe de forma frequente, Kendrick descreve-se como sendo “pálida, desajeitada e muito, muito pequena” — não chega a 1,60 metros. E um dos grandes desafios de ser uma celebridade? “Às vezes só quero usar a mesma roupa durante três dias seguidos. E não posso”, contou à Glamour.