O concerto de Anselmo Ralph nas Festas do Mar em Cascais acabou antes do tempo devido a desacatos entre a audiência junto ao palco. Já o músico tinha iniciado a última canção do alinhamento quando pediu à banda para parar de tocar e chamou a polícia para acorrer ao local.

Quando as autoridades e os jornalistas chegaram estavam quatro pessoas no chão, mas apenas três foram encaminhadas para o hospital. Sem informações oficiais, a SIC informava que pelo menos duas pessoas apresentavam “ferimentos de corte”.

O Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Lisboa, que recolheu informação junto do posto em Cascais, contrariava as primeiras informações veiculadas pelos órgãos de comunicação social afirmando à Lusa que “não há registo de agressões” e “não houve qualquer esfaqueamento”. O que houve, referiu a fonte, foram “várias ocorrências de doença súbita, uma situação de queda e uma pessoa que, empurrada contra uma grade, teve um princípio de esmagamento, na sequência da confusão gerada no local”.

Anselmo Ralph mostrou-se perturbado com a situação e não completou o concerto. Antes do início do espetáculo o artista já tinha apelado a que a atuação decorresse dentro da normalidade. O cantor teria sido alertado, tal como todos os comerciantes da zona, que um “meet” poderia acontecer este domingo à noite durante o concerto, que teria início às 22 horas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A PSP estava preparada para uma intervenção no caso de ocorrer o “meet” – o encontro de centenas de jovens combinado através das redes sociais -, embora durante o concerto os elementos das forças policiais tenham passado despercebidos (com polícias à civil). A Unidade Especial de Polícia foi chamada para tentar controlar a situação, especialmente junto ao areal. A SIC transmitiu em direto a detenção de um jovem.

Fonte da PSP confirmou à Lusa que estavam 100 mil pessoas a ver o concerto.