A tenista norte-americana Serena Williams, que conquistou no domingo, pela sexta vez, o US Open, quarto e último Grand Slam da época, reforçou a liderança no “ranking” mundial.

Graças ao 18.º troféu num torneio de topo, o terceiro consecutivo nos Estados Unidos, Serena Williams dilatou para 3.270 pontos a vantagem sobre a segunda classificada na hierarquia, a romena Simona Halep, que se despediu de Flushing Meadows logo na terceira ronda.

Com 18 vitórias em torneios do “Grand Slam”, Serena Williams igualou as antigas jogadoras Martina Navratilova e Chris Evert e ficou a quatro da alemã Steffi Graf, líder da “era” Open. A recordista de sempre, com 24 títulos, é Margaret Court.

A dinamarquesa Caroline Wozniack, que disputou pela terceira vez a final do US Open, valorizou o seu estatuto no “ranking” e reentrou no grupo restrito das dez melhores do mundo, figurando em nono lugar na lista publicada hoje.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Entre as portuguesas, Michelle Larcher de Brito sofreu uma “queda” de 35 lugares na classificação, aparecendo hoje no lugar 139, despromoção relacionada com o fato de ter falhado a entrada no quadro principal do US Open.

Em 2013, a número um portuguesa conseguiu superar o “qualifying” e chegar à segunda ronda em Nova Iorque. Este ano, foi afastada na segunda eliminatória do torneio de qualificação.

Na contagem do ATP Tour, que ainda será atualizada depois da final masculina do US Open, marcada para hoje, o japonês Kei Nishikori, um dos finalistas do “major” nova-iorquino, atingiu o lugar mais alto da carreira, ao ocupar agora o oitavo posto, graças a um “salto” de três posições.

O outro finalista de hoje, o croata Marin Cilic, que em 2010 chegou a integrar o “top-10”, subiu quatro posições e é agora 12.º do mundo.

João Sousa, eliminado na segunda ronda do US Open, quando há um ano chegou à terceira eliminatória, perdeu duas posições e aparece na lista de hoje a fechar o grupo dos 40 melhores.

No topo da classificação, o sérvio Novak Djokovic, eliminado por Nishikori nas meias-finais do torneio de Nova Iorque, reforçou, mesmo assim, a liderança e a vantagem sobre o espanhol Rafael Nadal, ausente de Flushing Meadows por lesão.

Na lista anterior, publicada a 25 de agosto, Djokovic beneficiava de uma vantagem de 2.100 pontos sobre Nadal. No “ranking” de hoje, viu a distância alargar para 3.420 pontos.