A presidente da Autoridade Nacional das Comunicações (Anacom) afirmou que a reação da Vodafone ao mercado “foi excelente” porque permitiu baixar os preços das ofertas e evitou o duopólio. Fátima Barros falou aos jornalistas à margem da conferência “Consolidação no setor das telecomunicações: Tendências e novos desafios”, organizada pela Anacom no âmbito dos seus 25 anos e que decorreu em Lisboa.

Com a fusão entre a Optimus e a Zon, que resultou na NOS, “um operador integrado a concorrer com a PT [Portugal Telecom]”, a “Vodafone reagiu, começou a investir, a aumentar a sua rede fixa”, explicou a presidente do regulador. Esta posição por parte da Vodafone impediu o surgimento de uma situação de duopólio entre a PT e a NOS.

“A reação da Vodafone foi excelente porque criou uma pressão sobre os preços, que começaram imediatamente a baixar”, salientou Fátima Barros, que apontou que a operadora “começou a exercer pressão concorrencial sobre os outros dois” operadores de telecomunicações. “Isso tem gerado diminuição dos preços de mercado”, pelo que “tem sido bom para os consumidores”. No entanto, “agora vamos ver como o mercado evolui”, acrescentou.

Sobre a necessidade dos contratos dos operadores serem mais transparentes, a presidente da Anacom adiantou que foi feita uma consulta pública sobre que tipo de revisão devia ser feito para que aqueles fossem mais claros para os consumidores. “Vamos tomar uma decisão em breve”, adiantou.