Esta igreja, monumento nacional e considerada única em Trás-os-Montes, foi elevada a Basílica em julho e a Diocese de Bragana-Miranda decidiu, então, consagrar a data de 08 de novembro como o dia de aniversário. Em Portugal, existem oito Basílicas, todas situadas em cidades, sendo a de Outeiro a primeira numa aldeia e que vai comemorar o estatuto com um programa cultural e religioso para sexta-feira e sábado.

As festividades decorrem em simultâneo com obras de conservação e restauro no recheio da igreja orçadas em mais de 118 mil euros como divulgou hoje s Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN). Os trabalhos foram adjudicados à empresa Conserv’arte, Lda, com conclusão prevista “para o próximo ano”.

A DRCN aponta, em comunicado, que a “igreja do Santo Cristo do Outeiro integra um valioso recheio artístico e patrimonial executado ao longo do século XVIII”. Os conjuntos em intervenção, concretamente altares da igreja, púlpitos e revestimentos em talha, “apresentam problemas vários e generalizados ao nível da estrutura, do suporte e dos revestimentos cromáticos”. O edifício tinha sofrido obras de restauro em 2011.

A DRCN associa-se ao aniversário do templo promovendo, na sexta-feira à noite, um concerto com entrada livre, a cargo da Orquestra de Câmara da Maia e o Invictus Ensemble sob a direção do maestro Pedro Sousa.

A celebração solene da promulgação do título ocorrerá no sábado, 08 de novembro, durante as comemorações dos 500 anos do segundo foral de Outeiro, concedido pelo rei D. Manuel I, em 11 de Novembro de 1514. Do programa constam a eucaristia com o rito da concessão do título Basílica presidida pelo bispo José Cordeiro, a apresentação de um livro, um postal e um selo comemorativos e um cortejo etnográfico.

A proposta de elevação foi lançada pela diocese de Bragança-Miranda, pela Câmara Municipal e pela Direção Regional de Cultura do Norte, e aprovada, em julho, pelo Vaticano. Como explicou o bispo diocesano, naquela ocasião, na Igreja Católica as basílicas maiores são as quatro em Roma e outras que estão ligadas diretamente ao papa. As restantes têm o título de basílica menor, como o atribuído a Outeiro.

Construída no século XVII e monumento nacional desde 1927, a Basílica Menor de Santo Cristo de Outeiro, “distingue-se pela simetria e equilíbrio de proporções”, como a descreve a DRCN.

O bispo José Cordeiro destaca sobretudo a sacristia desta igreja, “uma autêntica escola bíblica”, uma obra de arte da autoria do pintor espanhol setecentista Bustamante. As paredes da sacristia estão cobertas com cerca de 90 imagens emolduradas que representam cenas bíblicas com a vida de Cristo.

Este local de culto, próximo da fronteira, começou a ser erguido em 1648, na sequência da Restauração, depois de Portugal ter recuperado a soberania aos reinados espanhóis.