A família real inglesa participou na manhã deste domingo nas comemorações anuais que homenageiam as vítimas da Primeira e da Segunda Guerra Mundial, depositando coroas de papoilas no centro de Londres, junto ao monumento Cenotaph em Whitehall. Este ano, a cerimónia que assinala os 100 anos da Primeira Guerra Mundial e os 70 do dia D, foi ameaçada por conspirações terroristas que levaram a várias detenções de fundamentalistas muçulmanos, mas a rainha não faltou à cerimónia.

Embora esta cerimónia seja normalmente marcada pelo silêncio, um aplauso espontâneo da multidão que assistia às comemorações, lideradas pela rainha – ladeada pelos herdeiros do trono Carlos e William – marcou o seu encerramento. Temia-se que a família real não presidisse à cerimónia devido ao grau de alerta terrorista na capital britânica, mas as ameaças não demoveram a monarca de 88 anos.

Na tribuna ficou Kate Middleton, grávida de quatro meses, Camilla, mulher de Carlos e a princesa Sophie, mulher do príncipe Eduardo, filho da rainha. As três mulheres, tal como a rainha estavam vestidas de luto, apenas com uma ou várias papoilas ao peito – flor simbólica desta data. O príncipe Harry passou este dia no Afeganistão com as tropas britânicas que ainda estão no terreno.