O antigo presidente da República Jorge Sampaio vai ser distinguido hoje com um doutoramento “honoris causa”, pela universidade britânica King’s College de Londres, “em reconhecimento pelo seu evidente mérito”.

Esta é a mais alta distinção atribuída pela terceira mais antiga universidade britânica, fundada em 1829, que todos os anos atribui os diplomas honoríficos a personalidades de diferentes áreas e aptidões.

Além do antigo chefe de Estado português, receberão os respetivos títulos o historiador Christopher Bayly, o biofísico e prémio Nobel da Química em 2013, Michael Levitt, o biólogo Timothy Aitchison, o jurista Navanethem Pillay e o imunologista Paul Rothman.

O processo de nomeação de Jorge Sampaio foi iniciado por dois académicos da instituição, Luísa Pinto Teixeira, historiadora e antiga diretora do Centro Camões de Estudos em Língua e Cultura Portuguesa, e Hélder Macedo, escritor e professor emérito de Literatura Portuguesa.

Jorge Sampaio foi Presidente da República durante dois mandatos consecutivos, entre 1996 e 2006, precedidos por dois mandatos consecutivos como presidente da Câmara Municipal de Lisboa (1989-1995).

Exerceu recentemente os cargos de Alto Representante da ONU para a Aliança das Civilizações (2007-2013), Especial Enviado do secretário-geral da ONU para a Luta contra a Tuberculose (2006-12).

Mantém as funções de membro do Conselho de Estado, enquanto antigo Presidente da República, e de presidente do Conselho Consultivo da Universidade de Lisboa desde 2007.

É Doutor Honoris Causa pelas Universidades de Aveiro (2008), Coimbra (2010) e Lisboa (2010), possui numerosas condecorações nacionais e estrangeiras e recebeu vários galardões, como o Prémio Europeu Carlos V (2004), Prémio Norte-Sul do Conselho da Europa e Prémio Diálogo de Culturas (ambos em 2010).

Em 2013 lançou a Plataforma Global para os Estudantes Sírios para oferecer bolsas e assim evitar a perda de uma geração de licenciados no país.