Easton, que está em Macau pela oitava vez e tem já no currículo três vitórias no circuito – 2008, 2009 e 2010 – fez a sua melhor volta em 02.25.975 minutos contra 02.26,478 de Rutter. O terceiro posto da grelha é ocupado por Lee Johnston, em Honda, depois de realizar a melhor volta em 02.27,096 minutos, seguido por Ian Hutchinson, vencedor de 2013 e aos comandos de uma Kawasaki, com 02.28,285 minutos.

Com André Pires, em Yamaha, de fora da prova devido a um acidente na quinta-feira que não teve consequências físicas graves para o piloto português, cabia a Nuno Caetano, em Kawasaki e pela quarta vez em Macau, defender as cores portuguesas e tentar melhor que o 24.º posto na prova de 2013.

Nuno Caetano acabou por não ir além do 28.º lugar na grelha, com 02.38,510 minutos, mas estando a fazer melhor que em 2013 já é positivo para o piloto. “Já estou a fazer cerca de três segundos melhor do que rodava aqui normalmente, já não tive problemas na qualificação, já não há aquela luta (…) portanto correu bem”, começou por explicar. Nuno Caetano disse ainda que sábado há que “trazer a moto de volta (às boxes)”. “Amanhã na corrida é tudo ganho. Tem havido imensos acidentes, muitas pessoas a cair (…) Não vou ganhar a corrida, não vou estar no top 10”, sustentou. Nos planos do piloto está o regresso em 2015 e, nessa altura, “aspirar (por um lugar) mais à frente”.

Os primeiros 14 pilotos da grelha de partida para a corrida de sábado fizeram o seu melhor tempo na sessão de qualificação de hoje, contando para a grelha o melhor dos tempos feitos nas duas sessões cronometradas.

A grande curiosidade da edição 2014 do Grande Prémio de Motos, uma prova em que os britânicos estão em maioria, é saber se Michael Rutter, que está em Macau pela 20.ª vez e venceu já oito corridas, consegue a sua nona vitória no circuito da Guia estabelecendo um novo recorde pessoal.