O português Tiago Monteiro, que hoje viu fugir a vitória na última corrida do WTCC em Macau devido a um problema mecânico, manifestou-se triste, mas ciente de ter feito tudo para vencer.

“Sabemos o que aconteceu, não sabemos é porquê. A direção bloqueou completamente depois do gancho (curva Melco), ou seja ficou bloqueada e era impossível virar o carro, fazer seja o que for, e tentei vir até às boxes devagar e, mesmo assim, ia batendo não sei quantas vezes”, começou a explicar o piloto.

O problema na direção, que desde quinta-feira tem afetado o carro de Tiago Monteiro, mas apenas de forma momentânea, é algo “que acontece muito raramente”.

“Aconteceu no inverno passado nos testes e nunca mais tinha acontecido. Achamos, numa primeira análise, que na entrada do ‘safety car’ abrandamos e (como) a temperatura sobe muito, a temperatura da caixa de direção é um pouco sensível e poderá ter bloqueado”, acrescentou.

“Se não tivesse entrado o ‘safety car’, se calhar dava para aguentar duas voltas”, disse.

Com grande dificuldade em explicar o que aconteceu e manifestando-se bastante frustrado depois de um ano de trabalho que considerou “duro”, Tiago Monteiro reconheceu que a ‘estrela da sorte’ voltou a não acompanhá-lo na quinta oportunidade de vencer este ano.

“Quando não dá, não dá. Eu sei que fiz o trabalho que tinha a fazer, estou satisfeito com as minhas duas corridas, foram as duas muito boas, estava num bom ritmo, mas agora não posso fazer milagres”, disse, ao salientar já ter tido “muitas desilusões no desporto automóvel”, mas esta em Macau será “provavelmente uma das maiores” porque vencer no circuito da Guia “é muito especial” e o piloto já foi várias vezes ao pódio, mas nunca venceu.

Sobre a corrida em si, Tiago Monteiro explicou que “estava a gerir” a prova com confiança até que começou a pensar que era possível ganhar. Mesmo depois da entrada do ‘safety car’, o que não lhe agradou, conseguiu sair bem e segurar a primeira posição até que, na curva Melco, terminou o sonho.

Depois de vários anos com a última etapa em Macau, o mundial WTCC não regressa ao território em 2015, mas Tiago Monteiro, que deverá confirmar a sua continuidade na Honda em breve, vai analisar com a Honda uma oportunidade de regressar ao território.