Klaus Iohannis, descendente de alemães que se instalaram na Roménia na Idade Média, ganhou as eleições presidenciais do país com 54,5% dos votos, no domingo, batendo o primeiro-ministro, Victor Ponta. É o primeiro chefe de Estado do Roménia oriundo de uma minoria étnica.

Na primeira volta, a 2 de novembro, Klaus Iohannis ficou a quase dez pontos do atual primeiro-ministro. Com uma campanha eleitoral prometendo uma “mudança profunda” na política da Roménia contra a corrupção, Klaus Iohannis conseguiu convencer muitos cidadãos céticos, alcançando uma grande mobilização entre os jovens, mas sobretudo dos emigrantes, escreve a Associated Press.

A diáspora romena, descontente com o rumo do país, virou-se contra Victor Ponta na segunda volta das eleições presidenciais: na primeira, muitos dos três milhões cidadãos a morar no estrangeiro foram impedidos de votar, devido a problemas burocráticos e filas enormes nos consulados. Por isso, uma afluência de 64% às urnas na segunda volta foi decisiva para os resultados destas eleições, conta a BBC.

“Nunca mais deve ser permitido que cidadãos romenos sejam humilhados quando querem votar”, disse Iohannis, em declarações à Associated Press, nesta segunda-feira. Victor Ponta, atual primeiro-ministro do país pelo partido social-democrata, assegurou que não tem planos para se demitir e lembrou que os sociais-democratas têm maioria no Parlamento romeno e vão continuar a governar até às legislativas, previstas para 2016.

Apoiado por dois partidos conservadores romenos, Klaus Iohannis era até agora o presidente da câmara de Sibiu, na Transilvânia.