José Sócrates juntou-se segunda-feira à noite aos 2.385 presos preventivos que existem atualmente nas cadeias portuguesas.

O número é da direção-geral de serviços prisionais e encontra-se atualizado à data de 15 de novembro e isto significa que o número de presos preventivos representa 17% da população prisional.

O número de presos preventivos tem vindo a descer nos últimos anos. Em 2006, por exemplo, a taxa de presos preventivos chegou a atingir os 23%.

A prisão preventiva é uma medida cautelar e pode usar decretada pelo juiz caso este entenda que há perigo de continuação da atividade criminosa, perturbação do inquérito ou perigo de fuga.

No caso de Sócrates, o juiz Carlos Alexandre invocou os três motivos.