O primeiro-ministro sueco, Stefan Lofven, convocou esta quarta-feira eleições antecipadas, depois de terem fracassado as negociações com os partidos da oposição sobre o Orçamento de Estado para 2015, avança a BBC. O Governo minoritário de centro-esquerda iniciou funções há menos de três meses e Lofven tinha admitido nos últimos dias a hipótese de se demitir e convocar uma nova votação. De acordo com o mesmo, as eleições deverão acontecer no próximo dia 22 de março.

O Governo não conseguiu obter a aprovação do Orçamento no Parlamento depois de o partido de extrema-direita Democratas Suecos ter alinhado com a oposição. Os Democratas Suecos, vistos como um partido nacionalista conservador, ficaram em terceiro lugar nas eleições mas têm tido um papel determinante já que nem os Sociais Democratas (liderados por Stefan Löfven) nem os Moderados de centro-direita conseguiram maioria parlamentar. Além disso, o poder dos Democratas Suecos saiu reforçado já que o partido duplicou a votação nas últimas eleições, para 14%, garantindo 49 lugares no Parlamento.

Esta quarta-feira houve 153 votos a favor do Orçamento contra 182 da oposição de centro-direita e de extrema-direita, contrária ao OE.

O primeiro-ministro tinha prometido uma decisão para esta tarde de quarta-feira, depois das negociações parlamentares. O seu tom deixava adivinhar que o Governo poderia estar à beira do colapso. “Não há ninguém do outro lado da mesa, não faz qualquer sentido ter conversações“, afirmou o primeiro-ministro, citado pelo Financial Times. “Poderemos marcar eleições antecipadas mais tarde, quando a Constituição o permitir. Podemos também demitir-nos… e há outras alternativas”, acrescentou.

Os Democratas Suecos queriam que o orçamento incluísse medidas anti-imigração semelhantes às que têm sido aplicadas na vizinha Dinamarca, onde os partidos nacionalistas também têm ganho cada vez maior expressão. Este partido quer reduzir a imigração em 90%, mostrando-se particularmente preocupado com a chegada de refugiados da Síria, Somália e Iraque.