Portugal é o pior país na Europa, e um dos piores no mundo, no que toca à presença de mulheres em cargos de topo nas empresas. Com apenas 7,9% de mulheres presentes em conselhos de administração, Portugal tem menos de metade do que a Alemanha (18,5%) e menos de um quarto do que a Noruega (35,5%).   

As contas foram feita pela Catalyst, uma Organização Não Governamental dedicada à promoção da equidade nos negócios a nível global desde 1962. Portugal afirma-se assim como um dos países onde as empresas são melhores a manter as mulheres longe do topo da carreira, pior ainda do que países como a Índia. Dos países consultados a nível global, só o Japão tem piores resultados que Portugal.

Apesar das más notícias a nível nacional, a Catalyst vê bons indicadores a nível global no sentido de maior paridade de género na  liderança empresarial – considerando possível a “limitação do défice entre géneros nas empresas cotadas.” O estudo, em inglês, pode ser recolhido aqui.