Pela primeira vez em 12 trimestres consecutivos, as deslocações por transporte fluvial inverteram a trajetória de queda e aumentaram 1,5% no terceiro trimestre de 2014, atingindo os 7,8 milhões de passageiros, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Os dados divulgados nesta quarta-feira pelo INE mostram que o número de passageiros nas ligações fluviais no rio Tejo aumentou 1,6%, para os 5,6 milhões, representando 72,7% do total de transporte fluvial em Portugal, e destacam ainda a travessia da ria Formosa, que agregou 1,5 milhões de passageiros, ou seja, uma subida de 5,2%.

As deslocações por transporte fluvial não foram as únicas a aumentar no terceiro trimestre do ano passado. O número de passageiros dos metropolitanos de Lisboa e do Porto aumentou 6,3% para 47,2 milhões de pessoas transportadas, face à subida de 2,2% registada no trimestre anterior em termos homólogos. De acordo com o INE, o aumento do número de passageiros “foi mais expressivo no mês de julho”, de 7,1%, mas agosto e setembro também apresentaram variações positivas, de 5,5% e 6,2%, respetivamente.

O Metropolitano de Lisboa registou uma subida de 6,7% em termos homólogos, num total de 34,1 milhões de passageiros transportados, tendo a taxa de utilização subido 1,9 pontos percentuais, fixando-se em 24,6%. No metro do Porto, o tráfego de passageiros aumentou 5,4%, contrariando a descida do trimestre anterior, de 2%, tendo alcançado 13,2 milhões de passageiros, o que correspondeu a uma taxa de utilização de 16,4%, ligeiramente inferior à registada no trimestre homólogo de 2013.

O transporte ferroviário também contou com mais passageiros, totalizando 31,9 milhões de deslocações no mesmo período, ou seja, uma subida de 3,7%, face à queda de 0,8% verificada no segundo trimestre do ano passado. A rede suburbana de comboios transportou 27,9 milhões de passageiros, equivalente a um ganho de 3,6% em termos homólogos, e o transporte ferroviário interurbano registou uma subida de 4,6% no número de passageiros, para 3,9 milhões.

As deslocações internacionais abrangeram 47 mil passageiros, correspondente a um aumento de 11,9%. “No 3.º trimestre de 2014, todos os meses apresentaram variações positivas no transporte de passageiros, salientando-se o mês de setembro com um aumento de 5,3% no total de deslocações”, lê-se no documento do INE.

Também o movimento de passageiros nos aeroportos portugueses (embarcados e desembarcados) aumentou 8,9%, totalizando 11,9 milhões de passageiros. O aeroporto de Lisboa, acrescenta o INE, teve “um assinalável aumento de 15,1% no número de passageiros, à semelhança do ocorrido no trimestre anterior” (14,4%), concentrando 47,6% do total de passageiros registados nas infraestruturas aeroportuárias neste período.

Entre os restantes principais aeroportos, salientam-se ainda Ponta Delgada (7,9%) e Porto (6,6%), tendo sido diminutos os acréscimos em Faro (1,8%) e no Funchal (0,1%). Os voos em tráfego comercial internacional transportaram 84,4% dos passageiros movimentados, tendo o tráfego regular assegurado 94,6% dos movimentos de passageiros.

Os destinos e origens localizados na União Europeia concentraram 79,3% do total dos passageiros em tráfego internacional, enquanto os restantes países da Europa representaram 6,4%, correspondendo 14,3% aos restantes destinos para fora da Europa.

No terceiro trimestre, as companhias portuguesas transportaram 41,7% dos passageiros nos aeroportos nacionais, mantendo os operadores da Irlanda e do Reino Unido mantido as posições de destaque (16,5% e 16,3% respetivamente). No mesmo período, aterraram nos aeroportos nacionais 48,4 mil aeronaves (+6,4%), uma subida observada tanto no Continente (6,3%) como nas Regiões Autónomas, com especial notoriedade na Região Autónoma da Madeira (9,6%).