Quem conseguir comprar o Novo Banco deverá pagar entre 3,5 mil a 4,5 milhões de euros, disse este sábado Marques Mendes no seu comentário semanal na SIC. Baseando-se em “fontes próximas” do Fundo de Resolução, o comentador explicou como se vai processar, agora, a segunda fase da venda do Banco que ficou com os ativos “bons” do Banco Espírito Santo.

Ainda segundo Marques Mendes, dos 17 concorrentes iniciais, dois foram já excluídos. “Entre eles uma associação de investidores”, avançou. Os restantes 15 serão agora “notificados” e deverão, até final de março, “fundamentar as suas propostas”.

As propostas passam pela elaboração de um plano estratégico para o Novo Banco e da indicação de um preço, embora “indicativo”, Na terceira e última fase, explica Marque Mendes, cerca de “cinco ou seis” candidatos destes 15 apresentarão as propostas vinculativas.

“Começa a falar-se de um valor 3,5 mil milhões e 4 mil milhões a título indicativo”, desvenda Marques Mendes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O comentador diz que “agora é a serio” e que estes valores podem, de facto, concretizar-se. “Quem tem unhas toca viola, como diz o povo”, disse.