A sondagem do Guardian/ICM dá uma vantagem de 4 pontos aos Conservadores face aos Trabalhistas no Reino Unido. Para os Conservadores, que estão no Governo em coligação com os Liberais, isto significa uma subida de 6 pontos na intenção de votos desde o mês passado e um total de 36% dos inquiridos a preferir o partido na eleição de 7 de maio. Já os Trabalhistas desceram 1% – estão agora com 32% -, assim como os Liberais – 10%. Pior está o UKIP com apenas 9% das intenções de voto e os Verdes com 7% – ambos os partidos desceram 2% desde o mês passado.

A menos de três meses das eleições parece que David Cameron, primeiro-ministro britânico, tem razões para sorrir apesar de ter passado uma semana difícil depois de se ter apurado que muitos dos doadores para a sua campanha de 2010 estavam envolvidos no escândalo de fuga aos impostos apoiado pelo HSBC – o caso ficou conhecido como Swiss Leaks. A sondagem do Guardian contradiz a maior parte dos inquéritos que saíram este fim de semana, mas o jornal britânico defende-se afirmando que as suas sondagens em parceria com o ICM previram de forma correta o resultado das últimas três eleições legislativas no país.

Quanto às prioridades que os britânicos terão em conta nas próximas eleições, esta sondagem prevê que no topo das preocupações está o sistema nacional de saúde ou NHS, o emprego, os preços dos bens, os salários e a imigração.