O presidente da Liga Alemã de Futebol (DFL), Reinhard Rauball, qualificou esta quarta-feira de “absurdo” a recusa categórica da FIFA de compensar financeiramente as ligas e os clubes devido à disputa do Mundial 2022, no Qatar, em novembro/dezembro. “A FIFA é obrigada a pagar compensações pelos prejuízos causados às ligas”, afirmou Rauball, realçando os “danos” sofridos pelos clubes que terão de libertar os seus jogadores.

Um dia depois de o presidente da Associação de Clubes Europeus, o seu compatriota Karl-Heinz Rummenigge, ter dito que “os clubes deverão ser compensados pelas perdas se tal decisão for avante”, Rauball falou na necessidade de haver um movimento conjunto contra a FIFA. “É preciso tentar pôr em prática uma base sólida na Europa com outros países afetados”, disse o presidente da ‘Bundelisga’.

Após as recomendações do grupo de trabalho que aconselhou a realização do Mundial em novembro/dezembro, devido às altas temperaturas que se sentem no Qatar no verão, a FIFA manteve-se firme face aos protestos dos clubes europeus.

“Não haverá compensação financeira, têm sete anos para se organizar”, declarou o secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke. “[A solução] não é perfeita. Não fizemos nada que possa destruir o futebol, por que deveríamos desculpar-nos junto dos clubes?”, questionou. A janela de novembro/dezembro deverá ser validada em definitivo pelo Comité Executivo da FIFA, a 19 e 20 de março, em Zurique.