Philip Guo chegou aos 30 anos. A idade é encarada por muitos como um momento de viragem. O professor assistente na Universidade de Rochester quis perceber como é que os agora trintões à sua volta olhavam para trás. Por isso, enviou um inquérito a 160 amigos e conhecidos para entender a perceção que têm da idade, comparando com a vida que tinham há uma década. Colocou duas questões a cada um:

  • O que é que tens mais agora do que tinhas aos 20 anos?
  • O que é que tens menos agora do que tinhas aos 20 anos?

Os entrevistados têm todos um “nível académico médio ou alto” e estão empregados nas áreas da ciência, engenharia, medicina ou direito. A amostra contém 83 homens e 77 mulheres, entre os 28 e os 33 anos de idade. A maioria está casada ou numa relação longa e estável e não tem filhos.

1. O que é que tens mais agora do que tinhas aos 20 anos?

A maioria dos entrevistados diz que tem mais confiança aos 30 do que tinha aos 20. Aos 30, têm mais confiança nas suas capacidades, em situações que impliquem convívio social ou no trabalho. De seguida apontam mais paciência, mais independência e mais responsabilidades.

O romance é melhor aos 30 do que aos 20. A maioria dos participantes refere que consegue desfrutar melhor da vida a dois, sentir-se mais confiante na relação, mais sensatez na análise dos acontecimentos, mais serenidade e menos medo do compromisso.

2. O que é que tens menos agora do que tinhas aos 20 anos?

Aos 30 anos, têm menos tempo livre do que tinham aos 20: menos tempo para aprender coisas novas e para fazerem o que lhes apetece, em vez do que têm de fazer por causa das novas responsabilidades. Há quem refira ter menos tempo para, pura e simplesmente, não fazer nada.

Philip Guo conta  à Quartz que muitos entrevistados lamentaram o facto de não terem tempo para estar com os amigos e, assim, não conseguirem alimentar algumas amizades. Outros referiram ter menos energia aos 30: não conseguem deitar-se tão tarde como conseguiam aos 20, o metabolismo está mais lento e têm menos tolerância a grandes quantidades de álcool. Confessaram sentir agora menos desejo pela novidade.