A liberdade serve de mote para a programação que o Teatro de Vila Real preparou para o segundo trimestre de 2015, que aposta em espetáculos de dança, teatro e música e cinema que celebram esta conquista.

A vereadora do pelouro da Cultura da Câmara de Vila Real, Eugenia Almeida, afirmou esta terça-feira, em conferência de imprensa, que a programação do teatro municipal para o próximo trimestre vai decorrer sob o “signo da liberdade”. Por isso mesmo, na sua opinião, faz todo o sentido que se dê destaque à participação ativa da comunidade e dos agentes locais.

Na véspera do 25 de Abril, dia da revolução, realiza-se o espetáculo “Canções de Abril”, um projeto do grupo Canto D’Aqui que revisita, com arranjos originais, algumas das canções representativas da luta pela liberdade e que foram interpretadas por Zeca Afonso, Sérgio Godinho, Vitorino, Fausto, José Mário Branco ou Paulo de Carvalho. Para a concretização deste projeto foram convidados alguns coros locais, que vão também interpretar alguns destes temas.

O diretor do teatro de Vila Real, Rui Araújo, referiu que o objetivo é “que seja uma celebração em que a comunidade se une e está presente não só enquanto espetadora mas também enquanto interveniente”.

No Dia Mundial da Dança, 29 de abril, o teatro acolhe o espetáculo gratuito “Free” (livre) protagonizado pela companhia Instável, com coreografia do sul-africano Gregory Maqoma. Na dança há ainda, um segundo momento alto com “Fica no Singelo”, o espetáculo de Clara Andermatt que une as danças tradicionais e a dança contemporânea e que foi considerado a melhor coreografia de 2014. Este espetáculo envolverá também a comunidade local, já que culmina com um baile para o qual são convidados os espetadores.

Rui Araújo salientou o ciclo de cinema que irá decorrer entre 05 e 07 de maio e que evocará os 70 anos do final da Segunda Guerra Mundial, com três documentários e o filme “O Grande Ditador” de Charlie Chaplin que faz uma sátira à figura e ao regime de Hitler.

O responsável desatacou ainda a aposta na literatura com a “Viagem Literária”, promovida pela Porto Editora, que vai trazer a Vila Real os escritores norte-americano Richard Zimler e brasileiro Laurentino Gomes.

Também em maio, Paulo de Carvalho vai interpretar as suas canções, incluindo “E depois do adeus”, e, na área da música, o teatro acolhe ainda atuações dos Mão Morta, Sensible Soccers e Emmy Curl. Emmy Curl é natural de Vila Real e vai apresentar o seu novo álbum “Navia”.

No Serviço Educativo destacam-se as peças “Catabrisa” e “Pelos Cabelos”, que celebrará o Dia Mundial da Criança.

O segundo trimestre arranca na sexta-feira com a estreia de “Fardo”, a nova criação da companhia de teatro Peripécia que está incluída na 11.ª edição do Vinte e Sete – Festival de Teatro, que começou a 27 de março e decorre até 24 de abril em Vila Real e Bragança.