O valor sob gestão em certificados de aforro e de tesouro atingiu os 19.770 milhões de euros em julho, mais 0,7% ou 152 milhões de euros face aos 19.618 milhões aplicados em junho, segundo o Banco de Portugal.

Os dados divulgados no Boletim Estatístico do Banco de Portugal revelam ter havido uma aceleração no aumento do montante sob gestão nestes títulos de dívida pública já que, entre maio e junho, o acréscimo tinha sido de apenas 101 milhões.

Os dados hoje divulgados mostram ainda que o montante sob gestão em Certificados de Aforro (CA) em julho totalizou 12.716 milhões de euros, mais 20 milhões do que os 12.696 milhões de euros registados no mês anterior.

Para o crescimento do montante sob gestão em CA contribuíram, não só as novas subscrições, mas essencialmente o aumento dos juros acumulados: entre junho e julho os juros acumulados aumentaram 15 milhões de euros (de 4.100 para 4.115 milhões de euros), enquanto as novas subscrições aumentaram cinco milhões de euros.

Já no que diz respeito aos Certificados do Tesouro, o Estado detinha 7.054 milhões de euros nestes instrumentos no final de julho, mais 132 milhões do que os 6.922 milhões de euros registados no mês anterior. Para os Certificados do Tesouro o Boletim Estatístico não desagrega qual o montante de juros acumulados.