Quando o a pai e a mãe cuidam dos filhos, o casal é mais feliz. É esta a conclusão de um estudo elaborado por um grupo de investigadores da Universidade da Georgia. Na análise participaram quase 500 casais, todos heterossexuais. Os casais em que cada um dos membros fazia entre 40% e 60% das tarefas com os filhos eram mais felizes – ou seja, aqueles que distribuíam as tarefas de forma similar. Além disso, discutiam menos vezes e estavam mais satisfeitos na vida sexual – isto em comparação com os casais que distribuíam as tarefas de forma menos igualitária.

Os casais foram divididos em vários grupos: aqueles em que era só a mãe a tomar conta dos filhos, aqueles em que a divisão de tarefas era bastante semelhante e aqueles em que era o pai a fazer a maior parte das tarefas.  As relações que tiveram piores valores nos indicadores, em particular na intimidade sexual, foram aquelas em que são só as mulheres a tomarem conta dos filhos.  “O que descobrimos é que os casais que partilhavam o cuidado das crianças tiveram os indicadores mais positivos”, disse Dan Carlson, uma das investigadoras e professora de sociologia na Universidade da Georgia.

No caso da vida sexual, o que mudou significativamente entre as três categorias não foi a frequência com que tinham relações sexuais, mas sim a qualidade e a satisfação. Os casais que partilhavam mais as tarefas dos filhos estavam mais satisfeitos sexualmente. “Partilhar aqui implica boa comunicação, cooperação e coordenação”, explica a investigadora. “E isso são coisas em que é baseada uma boa e forte relação”.