O presidente da Federação Portuguesa de Atletismo (FPA), Jorge Vieira, mostrou-se esta segunda-feira preocupado com alguns dos resultados obtidos nos Mundiais de atletismo, que decorreram em Pequim, afirmando, contudo, que Portugal também conseguiu muito bons resultados.

“O atletismo é uma modalidade individual, não é coletiva, com um resultado final em que se possa dizer perdemos ou ganhámos. Não nos satisfazem os resultados menos bons que tivemos, em número que me preocupa e que importa corrigir, mas tivemos, por outro lado, vitórias importantes. Tenho um misto de sentimentos, a preocupação com o que correu menos bem e obviamente a gratificação pelos resultados que foram bons”, disse.

Em conferência de imprensa no Aeroporto da Portela, em Lisboa, o presidente da FPA enumerou os fatores para os resultados menos bons, assumindo que os mesmos “vão ser dissecados”.

“Uma primeira (razão) tem a ver com lesões mal tratadas, atletas que foram ‘tocados’ para a competição, o que não os deixou ter um desempenho próximo do seu ideal. Temos atletas que não tiveram um bom desempenho pela pressão e, aí, também temos de analisar. É urgente ter isso em atenção porque para o ano também temos Jogos Olímpicos, onde os atletas estão sujeitos a uma pressão acrescida”, explicou.

O líder federativo resumiu: “Em suma, damos os parabéns aos atletas que mais uma vez tiveram um desempenho brilhante, dois à cabeça, Ana Cabecinha e Nelson (Évora). A Ana Cabecinha e o Nelson Évora são atletas ideais que, perante a pressão da competição, florescem em vez de murcharem”.

Jorge Vieira também deixou algumas críticas ao momento atual do atletismo mundial, onde questiona a “pureza da competição desportiva”.

“A cada edição dos Campeonatos do Mundo, a realidade é diferente, a competitividade é diferente. A distribuição das medalhas é hoje mais democrática. Estou certo de que estamos a avizinhar-nos de uma nova época, em que o grau de pureza em termos de competição desportiva está cada vez mais próximo do grau zero em termos de naturalidade das ‘performances’”, reiterou.