A música tem propriedades mágicas, particularmente aquelas canções que nos marcam e se afirmam como banda sonora dos momentos mais especiais da nossa vida. Desde o embalar que a nossa mãe entoava, uma simples melodia consegue suscitar memórias e nostalgia. Isso aconteceu a um homem que, durante 20 anos, tentou identificar uma canção que o fazia recordar a sua mãe. Sem sucesso: por muito que trauteasse a melodia aos clientes que entravam no seu táxi, ninguém o conseguia ajudar. Até que, duas décadas depois, a persistência teve êxito. E a sua reação emocionada foi gravada em vídeo.

O homem do vídeo é do Congo. A sua mãe ouviu esta canção numa mercearia chinesa daquele país. Gostou tanto dela que o dono da loja lhe ofereceu a cassete. Daí adiante, tornou-se habitual ouvir a canção lá por casa.

Mas a canção perdeu-se no tempo. A família emigrou para a África do Sul, a cassete extraviou-se durante a viagem e a letra da canção, cantada em mandarim, nunca foi decorada. Pouco depois, a mãe do taxista morreu, tornando assim a busca ainda mais difícil. A sonoridade da canção, segundo conta agora no vídeo, “carrega muitas memórias” da mãe. “É a canção da minha mãe!”, diz o congolês.

O homem cresceu e tornou-se taxista. Sempre que recebia um passageiro asiático, tentava trautear a canção na esperança que alguém lhe pudesse identificar o nome da música. Durante 20 anos ninguém lhe soube responder. Até que um casal tailandês reconheceu a canção que é, aparentemente, um clássico na Tailândia.

Neste vídeo conseguimos ver o efeito devastador de uma memória recuperada pela música. A reação do taxista é, no mínimo, enternecedora.