A NASA recebeu mais um pacote de fotografias de Plutão, tiradas pela sonda New Horizons durante a passagem pelo astro no dia 14 de julho. Mas, desta vez, as imagens estão a deixar os cientistas estupefactos “devido à sua variedade e complexidade”. Em comunicado, a agência espacial norte-americana indica que as imagens “revelam uma desconcertante variedade de características” na superfície do planeta-anão.

Entre o conjunto de sete imagens divulgadas pela NASA esta quinta-feira, há uma que se destaca. A fotografia de alta-resolução — que reproduzimos abaixo — exibe uma superfície de Plutão pejada de diferentes estruturas geológicas, ao longo de uma faixa de 1.800 quilómetros de comprimento.

Esta imagem mostra a riqueza e complexidade geológica da superfície de Plutão. Foi capturada pela câmara da sonda New Horizons a 80.000 quilómetros de distância. (Imagem: NASA/Johns Hopkins University Applied Physics Laboratory/Southwest Research Institute — clique para ampliar)

“Plutão tem-nos mostrado uma diversidade de formas de relevo e uma complexidade de processos que rivalizam com qualquer coisa que tenhamos visto no Sistema Solar”, disse Alan Stern, principal investigador na missão da New Horizons. Jeff Moore, líder da equipa de Geologia, Geofísica e Tratamento de Imagens da New Horizons, optou por referir que “a superfície de Plutão é tão complexa como a de Marte”.

A missão da sonda New Horizons começou a 19 de janeiro de 2006, quando foi lançada para o espaço a bordo do veículo Atlas V-551. Viajou em direção a Plutão durante mais de nove anos, até alcançar o ponto máximo de aproximação a 14 de julho de 2015. Desde então, a NASA tem estado a descarregar dados da sonda, um processo demorado pois a New Horizons encontra-se a quase 33 unidades astronómicas da Terra (uma unidade astronómica equivale a cerca de 150 milhões de quilómetros).

Editado por Pedro Esteves.