Nos três dias da Web Summit, em Dublin, estiveram presentes mais de 2.100 startups, oriundas de várias partes do globo. Foram realizados 200 pitch (apresentações curtas de projetos): 100 para o concurso reservado às empresas Alpha (com investimento até 500 mil euros) e 100 para o concurso Beta Award (mais de 1 milhão de euros de investimento).

No final, o o vencedor da primeira categoria foi a startup holandesa Conecterra, que pretende ajudar os produtores de leite a produzir mais leite sem aumentar o número de vacas. Já os vencedores do Beta Award foram os irlandeses do Bizimply, uma app de gestão de negócios que quer “mudar a forma como os restaurantes e outros negócios são geridos”.

O Observador conversou com mais quatro – da Coreia do Sul, da Dinamarca, do Reino Unido e da Polónia – para saber o que acharam do evento, que erros não voltariam a cometer e que riscos voltariam a correr. E se vão a Lisboa no próximo ano? Talvez, responde a maioria.

Joblicateeydugouic095tcxlfogd
Fundador: Christian Johansen

Dinamarca

A Joblicate é uma plataforma de recrutamento online. Através de uma app, as empresas podem colocar anúncios em vídeo com duas ou três perguntas que querem fazer aos candidatos. As suas respostas, também em vídeo, podem ser visualizadas rapidamente. É uma espécie de Tinder do recrutamento, explica o fundador Christian Johansen, porque através de um deslize de dedo é possível ver as respostas de 100 candidatos em 10 minutos.

Gostamos do evento, mas tem muita gente e é difícil entrar em contacto com as pessoas certas. Depende sempre de quais são os teus objetivos.”

“Os erros que não voltava a repetir? Se calhar devíamos ter considerado se era mesmo o sítio certo para nós. Porque há aqui muitas coisas que já temos e agora precisamos de reunir a equipa toda e falar sobre esta experiência.”

“Corremos alguns riscos e não sei se voltaria a corrê-los novamente. Acho que isso só vou saber quando este dia acabar, porque depende dos contactos que fizermos hoje. O nosso grande objetivo é encontrar investidores e não temos tido muita ajuda nesse processo. Mas tem sido bom até agora.”

851107-d734d401bd1c1872c63d063a128dd18f-medium_jpgTulango
Fundador: Chris Hong
Coreia do Sul

O Tulango é uma plataforma para a aprendizagem de línguas, onde pessoas de todo o mundo podem partilhar as suas experiências e evoluir. Além disso, permite analisar uma grande quantidade de dados, a partir desta partilha de experiências, e otimizar a aprendizagem dos utilizadores. 

A Web Summit é muito diferente daquilo que encontro na Coreia ou noutras regiões da Ásia. Porque lá temos muita audiência, mas não temos muitas pessoas com quem possamos discutir os nossos negócios. Aqui, posso conhecer pessoas interessadas em fazer parcerias comigo.”

“Quando vier outra vez, espero vir já como uma startup. Porque agora o projeto ainda está numa fase muito inicial e ainda estamos a recolher o feedback dos nossos utilizadores em regiões como a Coreia, os Estados Unidos da América ou América Latina.”

731103-9b629d1834ca98f5cd02705f8c64920c-medium_jpgHubeo
Fundador: Wokciech Ozga
Polónia

O Hubeo é um marketplace de turismo, especializado em turismo médico. A ideia é que a plataforma permita pesquisar preços de tratamentos ou consultas em qualquer parte do mundo, comparando-os e permitindo optar pelas escolhas mais económicas. Mais direcionado para o mercado escandinavo, o Hubeo permite viajar para receber tratamentos médicos mais económicos e aproveitar o resto da estadia para visitar as cidades, com as sugestões disponíveis na plataforma.

“A Web Summit foi muito interessante porque permitiu partilhar as nossas ideias com muita gente e trocar contactos.”

“Erros? Provavelmente devíamos ter começado a pesquisar e a investigar os investidores que estão presentes no evento mais cedo do que aquilo que fizemos.”

“Antes de vires, deves pensar se vale mesmo a pena gastar este dinheiro ou se deves utilizá-lo, por exemplo, para apostar em marketing. Mas isso depende do estado em que o projeto se encontra. Quando falamos de uma empresa que ainda nem sequer lançou o produto, então se calhar é melhor gastares o dinheiro nesse desenvolvimento. Se já o tiveres e estiveres mais à procura de investidores, então deves ir à conferência.”

769007-89e986b7625c7590da156235d06c0266-medium_jpgBuzzHire
Business Developer: Natalia Kazakli
Reino Unido

O BuzzHire é uma plataforma que liga freelancers a entidades empregadoras nos setor da hospitalidade, como hotéis ou restaurantes. Permite que as empresas contratem mais facilmente empregados de mesa, de bar, motoristas ou assistentes para eventos específicos.

Gostei muito da Web Summit, porque é muito útil, sobretudo em termos de contactos. Mas há uma coisa má: a ligação da internet”

“Para a próxima, temos de vir mais bem preparados, porque estão presentes no evento tantas startups e há tantas apresentações a decorrer ao mesmo tempo, que é preciso estar muito bem preparado, ter delineado um bom plano antes de vir. Porque aqui é importante que faças uma boa gestão do teu tempo e tires o melhor partido dele.”

“Eu sacrificava todos os custos outra vez. É um risco vir, porque é um evento caro e porque deixámos o escritório vazio para podermos vir. Mas acho que no final vale a pena, porque há muitas oportunidades aqui.”