Rádio Observador

Governo

PS vai pedir a Costa abertura de Monte Real à aviação civil

104

Deputados de Leiria querem convencer Governo para aumentar potencial da região centro. Secretária de Estado dos Assuntos Europeus é defensora desta solução.

Paulo Cunha/LUSA

Autor
  • Helena Pereira

Os deputados do PS eleitos por Leiria vão pedir ao Governo de António Costa a abertura da base área militar de Monte Real à aviação civil, uma ambição por que lutam há vários anos, e que consideram que irá trazer ganhos para a indústria e o turismo da zona centro. E tencionam pedir, em breve, uma audiência ao Governo, depois de terem feito o mesmo com o anterior Governo.

“Naturalmente, os deputados eleitos por Leiria irão acompanhar com muita atenção e todo o interesse esta situação. É uma solução que é possível, não há por parte da Força Aérea obstáculos intransponíveis“, afirmou ao Observador o deputado José Miguel Medeiros, confirmando que o “lóbi territorial” que há vários anos une políticos de vários quadrantes continua ativo.

Há cerca de ano e meio, um grupo de autarcas da região centro reuniu-se com o primeiro ministro da Economia de Passos Coelho, António Pires de Lima, para avaliar o dossiê, tendo o ministério prometido, segundo José Miguel Medeiros, avaliar essa possibilidade. É esse estudo de impacto económico na região centro que justifique a abertura da Base Aérea de Monte Real à aviação civil que os três deputados do PS eleitos pelo círculo de Leiria agora pedem.

Em requerimento entregue no Parlamento no dia 20 de novembro, José Miguel Medeiros (ex-governador civil de Leiria), Margarida Marques (hoje secretária de Estado dos Assuntos Europeus) e António Sales pediram cópia do estudo mandado fazer por Pires de Lima, não desistindo da abertura da base militar à aviação civil que, a seu ver, contribuirá para um “aumento ímpar na indústria da região e para o desenvolvimento turístico de toda a região, nomeadamente o turismo ligado à prática do golfe, desportos de montanha, praia e turismo religioso, numa estreita ligação com o Santuário de Fátima”.

Segundo os socialistas, a região centro centro representa cerca de 30 mil milhões/ano para a economia do país, o que equivale a 13% do PIB nacional, e é “uma região sobejamente conhecida pela sua pujança económica, que conta com mais de 255 mil empresas”.

A Base Aérea de Monte Real situa-se a 110 km do Porto e a 170 de Lisboa e está perto de três autoestradas (A8, A1 e A17). É a base nº 5 da Força Aérea, onde se encontram as esquadras dos caça F16.

Esta discussão iniciou-se ainda durante o Governo de José Sócrates quando um grupo de políticos, encabeçado pelo ex-eurodeputado Manuel Queiró, começou a fazer pressão nesse sentido. O então ministro Obras Públicas, Mário Lino, e o secretário de Estado adjunto, Paulo Campos, manifestaram na altura abertura do Governo para avaliar essa aspiração, segundo Queiró.

Também Pedro Santana Lopes, quando era primeiro-ministro em 2005, defendeu as virtudes da abertura da base aérea à aviação civil, tendo assinado um protocolo que nunca saiu do papel.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)