Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Os deputados do PS eleitos por Leiria vão pedir ao Governo de António Costa a abertura da base área militar de Monte Real à aviação civil, uma ambição por que lutam há vários anos, e que consideram que irá trazer ganhos para a indústria e o turismo da zona centro. E tencionam pedir, em breve, uma audiência ao Governo, depois de terem feito o mesmo com o anterior Governo.

“Naturalmente, os deputados eleitos por Leiria irão acompanhar com muita atenção e todo o interesse esta situação. É uma solução que é possível, não há por parte da Força Aérea obstáculos intransponíveis“, afirmou ao Observador o deputado José Miguel Medeiros, confirmando que o “lóbi territorial” que há vários anos une políticos de vários quadrantes continua ativo.

Há cerca de ano e meio, um grupo de autarcas da região centro reuniu-se com o primeiro ministro da Economia de Passos Coelho, António Pires de Lima, para avaliar o dossiê, tendo o ministério prometido, segundo José Miguel Medeiros, avaliar essa possibilidade. É esse estudo de impacto económico na região centro que justifique a abertura da Base Aérea de Monte Real à aviação civil que os três deputados do PS eleitos pelo círculo de Leiria agora pedem.

Em requerimento entregue no Parlamento no dia 20 de novembro, José Miguel Medeiros (ex-governador civil de Leiria), Margarida Marques (hoje secretária de Estado dos Assuntos Europeus) e António Sales pediram cópia do estudo mandado fazer por Pires de Lima, não desistindo da abertura da base militar à aviação civil que, a seu ver, contribuirá para um “aumento ímpar na indústria da região e para o desenvolvimento turístico de toda a região, nomeadamente o turismo ligado à prática do golfe, desportos de montanha, praia e turismo religioso, numa estreita ligação com o Santuário de Fátima”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo os socialistas, a região centro centro representa cerca de 30 mil milhões/ano para a economia do país, o que equivale a 13% do PIB nacional, e é “uma região sobejamente conhecida pela sua pujança económica, que conta com mais de 255 mil empresas”.

A Base Aérea de Monte Real situa-se a 110 km do Porto e a 170 de Lisboa e está perto de três autoestradas (A8, A1 e A17). É a base nº 5 da Força Aérea, onde se encontram as esquadras dos caça F16.

Esta discussão iniciou-se ainda durante o Governo de José Sócrates quando um grupo de políticos, encabeçado pelo ex-eurodeputado Manuel Queiró, começou a fazer pressão nesse sentido. O então ministro Obras Públicas, Mário Lino, e o secretário de Estado adjunto, Paulo Campos, manifestaram na altura abertura do Governo para avaliar essa aspiração, segundo Queiró.

Também Pedro Santana Lopes, quando era primeiro-ministro em 2005, defendeu as virtudes da abertura da base aérea à aviação civil, tendo assinado um protocolo que nunca saiu do papel.