A história da Dois Corvos não começa — apesar do nome — em Lisboa. Começa, aliás, bem longe de território nacional, mais concretamente em Seattle, na costa Noroeste dos Estados Unidos da América, cidade onde Scott Steffens se fez homem e cervejeiro e onde a mulher, Susana Cascais, trabalhou durante alguns anos com um produtor artesanal de larga escala.

Quando se fixaram em Portugal, Susana e Scott trouxeram a fortíssima cultura de cerveja artesanal daquela região na bagagem e no final de 2013 criaram a marca Dois Corvos, uma das primeiras do género na capital. No entanto, não começaram logo a encher barris e a servir cervejas. Primeiro, foi necessário encontrar um sítio para instalar a respetiva fábrica. E fizeram-no já com a intenção de, numa extensão do espaço, criar um tap room: uma espécie de sala de provas, onde os clientes pudessem apreciar os diferentes tipos de cerveja à pressão que ali se produzem (tap, já agora, significa torneira, neste contexto).

Dois Corvos TP13

Aspeto geral do tap room da Dois Corvos. (foto: © Tiago Pais / Observador)

O local escolhido foi uma antiga adega vinícola de Marvila, na zona oriental da cidade. Em julho deste ano serviram a sua primeira cerveja e o tap room abriu no final de novembro. “Desde o início que o nosso objetivo é fomentar a cultura da cerveja artesanal e este espaço, com vista para a fábrica e para o equipamento, permite isso mesmo”, explica Susana. Um espaço inédito numa cidade que já vai tendo alguns produtores artesanais de qualidade reconhecida, como a Oitava Colina (que, no mesmo sentido, organiza visitas periódicas ao seu tasting room) ou a Sant’ana LX.

Dois Corvos TP6

Neste armário guardam-se os growlers, garrafas de um e dois litros reutilizáveis.
(foto: © Tiago Pais / Observador)

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Mesmo quem conhece bem ou já provou todas as variedades de cervejas Dois Corvos tem razões de sobra para visitar o tap room da marca. Não só porque permite observar de perto o processo de produção e até trocar impressões com os seus responsáveis mas também porque entre as cervejas disponíveis para provar estão algumas exclusivas que não chegarão a ser engarrafadas. “Há certas cervejas que só se encontram aqui. Algumas delas podem chegar ao mercado, outras não”, confirma Susana, que garante que a oferta não será estanque: “A ideia é que a partir do início do ano haja cervejas novas de duas em duas semanas.”

Dois Corvos TP14

Seis das cervejas que a Dois Corvos disponibiliza engarrafadas.
(foto: © Tiago Pais / Observador)

E para levar?

Mostrar Esconder

Além da possibilidade de consumir cerveja à pressão, no tap room da Dois Corvos pode também levar-se cerveja engarrafada para casa ou comprar os growlers, outra novidade. São garrafas de um ou dois litros, que são enchidas no local, à pressão, com uma das variedades disponíveis e são reutilizáveis: bebem-se, lavam-se e levam-se de volta para encher.

Para acompanhar as dez variedades de cerveja disponíveis — Susana não descarta a hipótese de, no futuro, se aumentar a oferta — há alguns petiscos, tanto aperitivos como tábuas de queijos e enchidos. Os mais indecisos têm a possibilidade de experimentar cinco cervejas diferentes de uma só vez, no tabuleiro de tasters. E os mais curiosos podem sempre espreitar para a zona de produção, onde o som da cerveja a fermentar se junta ao aroma distinto das leveduras, maltes e lúpulos. Cheira bem, cheira a cerveja. De Lisboa.

Nome: Dois Corvos Tap Room
Morada: Rua Capitão Leitão, 94 (Marvila), Lisboa
Telefone: 91 444 0326
Site: www.doiscorvos.pt
Horário: De segunda a quinta, das 13h às 18h. Sexta das 13h às 23h e sábado das 14h às 21h.
Preços: Cervejas de 2,40€ a 3,20€ (25 cl) e de 3,60€ a 4,80€ (40 cl)