O PSD tem abertura para atribuir a um representante do CDS-PP o segundo lugar da sua lista para o Conselho de Estado, disse hoje à agência Lusa fonte oficial dos sociais-democratas.

A mesma fonte adiantou à agência Lusa que o assunto ainda não foi formalmente debatido no partido, “mas que há abertura” do PSD nesse sentido.

Por método d’Hondt, no pior dos cenários, que é o da existência de uma lista única à esquerda (PS, Bloco de Esquerda, PCP e PEV), uma lista proposta pelo PSD elege sempre dois dos cinco representantes da Assembleia da República no Conselho de Estado.

Ao que o Observador apurou junto de fontes da bancada parlamentar social-democrata, os nomes que mais circulam nos corredores para se sentarem no órgão restrito do Presidente da República são precisamente o de Passos Coelho e de Paulo Portas. “Se a ideia é pedir eleições o mais depressa possível e desgastar a oposição então o que faz sentido é pôr os dois líderes”, diz fonte da bancada parlamentar social-democrata, acrescentando que há sempre o “fator Balsemão”, que não pode ser esquecido.

É que o fundador e militante número 1 do PSD faz atualmente parte do Conselho de Estado pela quota do partido e, se Passos e Portas entrarem, Francisco Pinto Balsemão teria de sair. Em todo o caso a decisão é dos líderes dos partidos, lembram. E ainda não está tomada.