A Câmara Municipal de Lisboa vai avançar com um “projeto de grande ambição” para a reabilitação da Segunda Circular. A informação foi dada esta terça-feira pelo presidente da autarquia na reunião da Assembleia Municipal de Lisboa, na qual explicou aos deputados que aquela estrada “necessita de uma intervenção profunda” e que “enfrenta vários problemas severos”.

Fernando Medina disse que, “antes do fim do ano”, a câmara vai aprovar o lançamento da empreitada, que depois deverá ser alvo de discussão pública e em sede da assembleia municipal. Entre as intervenções previstas, o autarca destacou a “resolução de vários pontos negros” daquela via, que começa junto ao Prior Velho (no fim da A1) e termina na Buraca (no início do IC19), sendo uma das estradas com mais tráfego do país. Atualmente, a Segunda Circular funciona como uma “via de atravessamento urbano”, utilizada por milhares de pessoas para chegar ou partir do Norte e para aceder ao aeroporto.

O presidente da câmara quer alterar esta situação, propondo “acentuar o caráter urbano” da estrada e negociando com o Governo formas para “que a CRIL [Circular Regional Interna de Lisboa, de Algés a Sacavém] assuma muito mais o seu papel”. Esta é uma ambição antiga da autarquia: o antigo vereador da Mobilidade de Costa, Nunes da Silva, várias vezes chamou a atenção para o facto de a limitação da velocidade máxima a 70 km/h na CRIL ser pouco atrativa para os condutores, que podem andar a 80 km/h na Segunda Circular. Fernando Medina sugere ainda a criação de acessos diretos ao aeroporto a partir da CRIL, o que, acredita, ajudaria a reduzir o tráfego da Segunda Circular.

Outras das medidas que Medina anunciou para aquela via passam pela “renovação completa do separador central”, que vai ter árvores, pela substituição da iluminação e pela criação de novas entradas e saídas na estrada — nomeadamente na Calçada de Carriche.

No mesmo discurso perante os deputados municipais, Fernando Medina anunciou ainda que o concurso público para a construção dos túneis de escoamento de chuva previstos no Plano Geral de Drenagem será lançado no “final do primeiro trimestre de 2016”. Outra obra que vai avançar brevemente é a requalificação da Praça de Espanha, disse.