Os técnicos de preparação física dos árbitros de primeira categoria ameaçaram hoje o presidente do Conselho de Arbitragem de não comparecerem à próxima ação de avaliação dos árbitros, se não forem repostos os valores que lhes eram pagos.

Essa ameaça foi feita durante o curso de árbitros que decorre hoje no Luso, e que engloba as provas físicas, que são orientadas e ministradas pelos técnicos dessa área, perante o presidente do Conselho de Arbitragem (CA), Vítor Pereira, que se remeteu ao silêncio, e os árbitros.

Segundo um dos juízes presentes na reunião, os técnicos em causa fizeram saber a Vítor Pereira que participariam no curso de hoje de forma gratuita, mas que não irão comparecer na próxima ação de avaliação, que está prevista para o próximo dia 27, para os árbitros que estiveram hoje a dirigir jogos da Taça da Liga, caso o problema do pagamento das diárias não seja resolvido até lá.

O Conselho de Arbitragem enviou esta semana para os preparadores físicos um ‘e-mail’ a dar conta da alteração dos valores que recebiam há mais de oito anos, que era de 137 euros por dia, para 68 euros, uma quebra de cinquenta por cento.

Antes desta ação de avaliação que decorre no Luso, tinham-se realizado outras duas, uma em julho, no Luso, que constou unicamente de provas de aferição, e outra em setembro do ano passado, que decorreu em Tomar e já englobou as provas físicas, estando prevista outra em março deste ano.

De resto, os técnicos de preparação física têm pagamentos em atraso referentes à primeira ação de avaliação dos árbitros que decorreu em setembro do ano passado.

Contactado pela agência Lusa, Vítor Pereira não quis comentar o assunto.