Uma pequena povoação murada de Hong Kong com 650 anos, a última deste género, vai ser demolida nos próximos dias, uma decisão contestada pelos moradores que a encaram como mais um prego no caixão do património cultural da cidade.

Cerca de 20 moradores de Nga Tsin Wai, uma antiga povoação no coração da vibrante Kowloon, arrumaram os seus pertences antes da chegada das retroescavadoras, nos próximos dias.

Hong Kong teve, em tempos, dezenas destas pequenas aldeias, espalhadas pelo que se tornou, depois, o centro urbano da cidade — foram construídas por clãs chineses há vários séculos e incluíam fossos e torres de observação para proteger contra intrusos.

Enquanto muitas povoações muradas ainda se mantêm intactas nos arredores rurais da cidade, Nga Tsin Wai é a única que sobra no coração de Hong Kong.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A aldeia foi construída em 1354 e as muralhas e ameias originais desapareceram, deixando apenas um conjunto de 50 casas em ruína, lojas e um tempo, rodeados de blocos de torres.

As autoridades argumentam que a mesma está em mau estado e deve dar lugar a unidades habitacionais de melhor qualidade numa cidade sobrepovoada — 750 apartamentos vão ser colocados no local. No entanto, os residentes mostram-se inconformados com a perda do único lugar onde se sentem em casa.

“A aldeia tem uma longa história e estamos aqui há muito tempo. Mas não nos deram outra opção se não ir embora”, disse à AFP o morador Kwok Yue-ka.

Kwok, um barbeiro de 52 anos, ficou até à data limite de despejo, insatisfeito com a indemnização oferecida pelo Governo — as autoridades já o avisaram que, se não for embora, arrisca-se a ser preso.

Kwok diz ter recebido 200 mil dólares de Hong Kong (cerca de 23 mil euros) de compensação e que irá agora para uma habitação temporária. “Sempre encarei este lugar a minha única casa. Vivi aqui 20 anos. Agora o futuro é incerto. Sinto-me frustrado”, disse.