Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Levantamo-nos, lavamos a cara, bebemos café, sentamo-nos na cama a pensar no que é que vamos vestir, tomamos banho, saímos de casa, demoramos uma hora no trânsito, passamos oito horas sentados a trabalhar, corremos para o ginásio, voltamos para casa e parece milagre quando, finalmente, regressamos para a cama. O que é que existe em comum nesta equação? Fazemos tudo em piloto automático. E muita coisa acontece ao nosso corpo entre o momento em que nos levantamos da cama meio ensonados a resmungar com o despertador e a hora em que chegamos, ao fim do dia, e nos deitamos no sofá a fazer zapping.

Um vídeo publicado pela AsapScience, um famoso canal no YouTube que explica a ciência de forma prática e já tem quatro milhões de seguidores, mostra que o nosso corpo passa por diversas transformações ao longo do dia e que tudo aquilo que fazemos afeta o nosso sono, cérebro, coração, olhos e outros órgãos mas também a nossa energia, capacidade de atenção e até o desejo sexual. Se anda de sol a sol em piloto automático, saiba tudo o que anda a fazer ao seu corpo.

O nosso corpo de manhã à noite

  • A primeira coisa que faz quando acorda é beber café? Faz mal. Quem o explica é Leigh Weingus, especialista em vida saudável, ao Huffington Post. Quando acordamos, o cortisol — a hormona do stress mas também responsável por nos acordar — está a ser bombeado através da corrente sanguínea. Apenas uma hora depois é que abranda e podemos retirar melhores benefícios do café.
  • Duas a quatro horas depois de acordar é quando o seu estado mental está no auge. Weingus explica que a memória é afetada ao longo do dia: de manhã esquecemos uma média de cinco factos e, à tarde, esse número passa para mais de 14. Todas aquelas coisas que guarda e depois não sabe onde colocou não são sinal de Alzheimer — é apenas cansaço.
  • A meio da tarde, é normal sentir uma quebra na energia e há uma explicação científica para isso: depois do almoço, o nosso corpo tem um pico de insulina que acaba por extrair mais glicose do sangue e isso faz com que nos sintamos sonolentos.
  • Embora não seja realista, o ginásio ao início ou ao fim do dia não é a melhor ideia. Aparentemente, a melhor hora para fazer exercício, correr ou andar de bicicleta é por volta das 16h30 — a temperatura corporal está no seu pico e pode ganhar mais 20 por cento de força muscular.
  • A happy-hour não se chama assim por acontecer depois do dia de trabalho (embora também seja um momento feliz para todos nós). Segundo a ciência, o nosso corpo é mais tolerante aos efeitos do álcool por volta das seis da tarde.
  • Se acha que a melhor hora para o sexo é à noite, não é que esteja enganado mas devia tirar partido dele noutras alturas do dia. Os níveis de testosterona são, na verdade, mais baixos ao fim do dia mas atingem o seu pico pelas oito da manhã.
office, work, vector, man, illustration, flat, business, employee, sleepy, businessman, people, desk, working, lazy, bored, boss, tired, character, worker, person, computer, job, exhausted, stressed, design, walking, cartoon, laptop, career, document, sitting, break, relax, success, table, secretary, daily, concept, occupation, management, lady, time, emotion, executive, woman, professional, routine, happy, male, activity,

Ilustração: Boonyen/iStock

O que acontece aos nossos órgãos

Um artigo da revista Marie Claire americana analisou o que acontece aos nossos órgãos durante um dia de trabalho e o “raio-x.” deixa-nos com a impressão de que, eventualmente, deveríamos parar de agir em piloto automático e pensar mais em nós próprios.

  • Olhos: Dores de cabeça, tensão ocular, visão embaçada e secura são consequências de passar horas e horas a olhar para o ecrã do computador. O ideal seria obrigar-se a piscar os olhos frequentemente e fazer pausas de 20 segundos a cada 20 minutos/meia hora, olhando para o horizonte (para o fundo da sala ou para a janela, por exemplo) porque enquanto olha para o ecrã tem a visão forçada num ponto próximo.
  • Costas: O grande problema da geração que passa horas sentadas é que ter a coluna curvada faz com que os pulmões não se consigam expandir na sua totalidade. E menos oxigénio significa menos concentração, sem se aperceber. Não há nada como uma caminhada pelo escritório de tempos em tempos e uma espreguiçadela. Sim, mesmo parecendo pouco profissional, espreguice-se, respire fundo e abra os pulmões.
  • Ouvidos: A hora que passa nos transportes a ouvir música com os auriculares do iPhone nos ouvidos ou em que vai no carro com o volume no máximo para se distrair podem causar mais danos do que imagina. E bastam oito minutos. Como não queremos dizer para deixar de ouvir música, porque a música é um bálsamo para a alma, tente ter alguma moderação no volume e troque os seus auriculares por auscultadores normais.
  • Coração: Muitos estudos dizem que existe uma relação entre passarmos horas sentados e doenças de coração, bem como pressão sanguínea elevada e colesterol alto. O mesmo se pode dizer dos quatro ou cinco cafés que bebe por dia.
  • Cérebro: Os especialistas são unânimes — estamos mesmo a ficar mais burros. Há quanto tempo não escreve nada à mão? Pois… as horas, dias, meses e anos a escrever ao computador prejudicam a formação de memória. Deveria tentar, sempre que possível, escrever à mão ao invés de deixar notas no iPhone.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR