O vereador do urbanismo da Câmara de Viana do Castelo afirmou que as obras de reparação da ponte Eiffel, a cargo da Infraestruturas de Portugal (IP), devem começar no final do mês, e com duração de 70 dias.

“Tinham previsto finais de fevereiro. Admito que possa haver algum ajuste mas não nos foi comunicado nada. Na última reunião da Comissão de Trânsito, que contou com a presença de representante da IP mantiveram a calendarização. Quero acreditar que não haja nenhuma alteração”, afirmou Luís Nobre.

Questionado pelos jornalistas à margem de uma conferência de imprensa para apresentação da Operação de Reabilitação Urbana (OUR) do Centro Histórico, que hoje entrou em discussão pública, o responsável afirmou que a intervenção “implicará condicionamentos à circulação automóvel”.

Explicou que a intervenção “terá interferência” na circulação automóvel “em dois períodos noturnos de quatro horas” e que consistirá “na substituição dos aparelhos de ligação entre as duas rampas de acesso, norte e sul, à plataforma da ponte”.

“Escolheu-se o período noturno para facilitar a vida aos utentes sendo certo que é inevitável porque os aparelhos têm que ser substituídos para manter a ponte com condições totais de funcionamento e segurança”, afirmou.

“Queremos crer até pelas reuniões de preparação da obra que temos mantido com IP, os prazos e períodos vão ser cumpridos e dessa forma não perturbar o ritmo das duas margens do rio. Sem dúvida a ponte Eiffel, apesar da sua longevidade, continua a ser elemento fundamental de ligação entre as duas margens”, adiantou.

Em dezembro passado, e em resposta escrita a um pedido de esclarecimento enviado pela agência Lusa, a empresa adiantou que a intervenção, orçada em 118 mil euros “terá a duração de 70 dias, tornando necessária a implementação de condicionamentos à circulação automóvel que serão antecipadamente divulgados”.

Segundo informação disponibilizada pela IP, empresa que resulta da fusão da Refer e da Estradas de Portugal, a intervenção “visa a reparação dos elementos de alvenaria existentes no acesso ao tabuleiro rodoviário (rampa), do lado de Darque, e a substituição dos dois aparelhos de apoio existentes nos acessos rodoviários das duas margens do rio Lima”.

A última intervenção realizada na ponte centenária (utilizada no piso superior por peões, viaturas ligeiras e pesadas, e no tabuleiro inferior por comboios) foi em junho de 2014 para a substituição integral do piso do tabuleiro rodoviário, que se encontrava “totalmente esburacado”.

Desde 2007, altura em que toda a estrutura recebeu uma grande intervenção de reabilitação – durante quase dois anos e que custou 15 milhões de euros -, que os problemas no piso rodoviário persistiam, nomeadamente com vários buracos de grande dimensão no alcatrão, ao longo dos seus cerca de 500 metros de extensão.

Inaugurada em 1878, a ponte metálica sobre o rio Lima foi desenhada pela Casa Eiffel de Paris e veio substituir a velha ponte em madeira que ligava o então terreiro de São Bento à margem esquerda do rio Lima, junto à capela de São Lourenço, em Darque.

Com a singularidade de ter dois tabuleiros sobrepostos para a circulação ferroviária no inferior e rodoviária no superior, foi a única travessia do rio Lima no concelho de Viana do Castelo durante quase todo o século XX.