Das séries produzidas pela Netflix, é a que tem colecionado mais seguidores, acima até de “House of Cards” ou “Narcos”. A terceira temporada foi disponibilizada a 11 de junho do ano passado. E para manter a tradição, o regresso vai acontecer no mesmo mês (sempre assim foi, desde 2013). Dia 17 é a data escolhida e este é o primeiro trailer da quarta temporada:

https://youtu.be/7xgTRUZhXWI

Estas primeiras revelações são curtas mas mostra coisas que interessam. Primeiro: Piper, a protagonista desta história, está com medo. E isso não é coisa comum para quem quase manda na prisão de Litchfield onde vive há uns quantos anos. Segundo: ao que parece há novas reclusas na área — 100, um número redondo que deve ser a principal causa do susto para a presidiária principal. Terceiro: no meio destas cem, há uma em particular que está bastante decidida a tratar da saúde a Piper — nas palavras da rufia em questão: “Vou enterrar-te”. Nem mais. Quarto: os guardas da prisão também não estão encantados com as mudanças que por lá acontecem e é bem possível que tomem medidas apropriadas para resolver o problema.

Fora isto, é provável que aconteçam os mesmos dilemas que “Orange is the New Black” apresentou nas temporadas anteriores, dos romances impróprios para uma prisão até às lutas pelo poder entre paredes. Mas de acordo com as primeiras pistas agora reveladas talvez não seja errado partir do princípio que esta quarta temporada possa ser mais dramática do que cómica — ou então vai ser a mistura entre os dois géneros, a mesma que tem acontecido até agora e que tem resultado tão bem.

“Orange is the New Black” foi criada por Jenji Kohan, a mesma que entre 2005 e 2012, ao longo de oito temporadas, chefiou a equipa que escreveu “Erva” (no original, “Weeds”). Kohan baseou a história de “Orange…” na história verdadeira de Piper Kerman, publicada em livro em 2010, com o título Orange Is the New Black: My Year in a Women’s Prison.

Orange_Is_the_New_Black_book_cover

A desventura é a de Piper, uma mulher condenada a 15 meses de prisão num estabelecimento de segurança média, pelo crime de tráfico de droga. Mas o ponto de partida acaba por se diluir quando uma série de acontecimentos — previstos e imprevistos — acabam por resultar em mais tempo de cadeia, transferências, amores e desamores, flashbacks contínuos para o passado que levou Piper até ali. Sempre na companhia de personagens caricatas, outros dos trunfos da série e que tem garantido elogios da crítica e reconhecimento traduzido em prémios.