A preferência pela permanência do Reino Unido na União Europeia (UE) está a crescer, indicando que o resultado do referendo que se vai realizar a 23 de junho pode traduzir-se num voto para ficar no projeto europeu. Uma das maiores mudanças nos últimos dias e que tem impulsionado uma maior expressão pela permanência é a mudança no voto conservador, com 48% dos militantes do partido conservador a afirmarem que querem ficar na UE.

A sondagem da empresa Opinium para o Observer mostra que 44% dos inquiridos votariam para ficar, enquanto 40% votaria para sair. A mudança nesta sondagem aconteceu nos conservadores, já que em abril apenas 39% dos inquiridos que afirmavam ser conservadores queriam ficar, enquanto neste mês 48% afirmam que votariam para permanecer – um aumento de 9 pontos percentuais. Esta mudança pode ser fruto da campanha levada a cabo por David Cameron pela permanência, nomeadamente pelas desvantagens económicas denunciadas pelo primeiro-ministro caso o Reino Unido saísse da União Europeia.

Mas esta não é a única sondagem que cimenta a preferência dos britânicos pela permanência. Segundo a Reuters, das sete últimas sondagens conhecidas, seis indicavam que a maioria dos inquiridos quer ficar no Reino Unido e a sondagem que agrega todas as sondagens sobre o Brexit do Financial Times indica que há 47% dos britânicos a favor da permanência e 40% que preferem a saída.