“A Mitsubishi Motor Corporation tem alguns elementos de tecnologia que a Renault-Nissan não tem. Por exemplo, os PHEV (híbridos plug-in), veículos que a Nissan se preparava para desenvolver. Isto vai ajudar a Nissan a tê-la imediatamente. Também dará à Mitsubishi uma escala maior para permitir a redução dos custos da [tecnologia] PHEV. Trata-se mais de uma partilha e benefício em grande escala”, adiantou o CEO da Nissan, Carlos Ghosn, ao Caradvice.com.au.

Embora sendo considerada uma das líderes do mercado mundial no segmento dos veículos exclusivamente eléctricos, nomeadamente com o Leaf, a Nissan não tem conseguido a mesmo progresso entre a oferta híbrida de carregamento eléctrico. Enquanto isso, a Mitsubishi já comercializa um dos híbridos plug-in de maior sucesso, o Outlander PHEV, SUV que associa um motor térmico a um motor eléctrico e que tem sido dos mais vendidos na Europa.

“Sem dúvida que vamos trabalhar em conjunto para os futuros eléctricos, significando assim que os motores e as plataformas da próxima geração de carros serão feitos em comum”, confirma Ghosn, realçando que a sinergia não se reflectirá em modelos iguais. “Não contem que os carros sejam cópias uns dos outros. O desenho e as especificações serão diferentes, mas as soluções tecnológicas fundamentais serão comuns”, sublinha o CEO da marca de Yokohama.