Rádio Observador

Startups

Startup Portugal. Incentivos fiscais até 100 mil euros para quem investir em startups

1.102

Quem investir entre 2.000 e 100 mil euros em startups vai ter benefício fiscal em sede de IRS, de acordo com a Estratégia Nacional para o Empreendedorismo que é lançada esta segunda-feira.

Antes de ser secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos foi diretor da Startup Lisboa

Michael M. Matias/Observador

Quem quiser investir em startups vai poder declarar os montantes quando preencher a declaração de IRS. O Programa Semente vai permitir que investidores que apoiem projetos entre 2.000 e 100 mil euros tenham benefícios fiscais num valor máximo de 100 mil euros. A medida é uma das 15 iniciativas do Startup Portugal que o Governo lança esta segunda-feira no âmbito da Estratégia Nacional para o Empreendedorismo.

É fundamental canalizar a nossa energia para apoiar quem já decidiu ser empreendedor”, afirmou o secretário de Estado João Vasconcelos no lançamento do Startup Portugal, que decorreu no Antigo Matadouro de Campanhã, no Porto. Objetivo: desbloquear e promover emprego, boas práticas e recursos, entendo as falhas regionais e setoriais num programa que está assente em três eixos: ecossistema, financiamento e internacionalização.

No pilar do financiamento, as candidaturas para o Startup Voucher – verba mensal para jovens universitários ou licenciados, – abrem em setembro de 2016. São 10 milhões de euros para distribuir em bolsas mensais de 690 euros durante um ano. Outros 10 milhões estão reservados para o Vale Incubação, que visa apoiar empresas a desenvolver a sua ideia de negócio num programa de aceleração ou numa das incubadoras que façam parte da rede nacional.

Nas Calls da Portugal ventures – sociedade de capital de risco pública – também há novidades: abertura de candidaturas para mais investimentos setoriais e uma call destinada a startups lideradas por mulheres. Pode ler mais sobre as 15 medidas de apoio ao empreendedorismo aqui.

No eixo reservado ao ecossistema, o secretário de Estado da Indústria anunciou os nomes por detrás da rede nacional de incubadoras (João Mendes Borga), da rede nacional de Fablabs e Makerspaces (Bernardo Gaieiras e Francisco Mendes) e a taskforce que vai ser criada para a Zona Livre Tecnológica, até ao final de 2016, onde Portugal quer ser pioneiro na invetigação e testes a veículos autónomos e drones. Cabem, neste eixo.

No que toca à internacionalização das startups, o Governo quer assegurar a participação de projetos portugueses nos maiores eventos tecnológicos do mundo, nas maiores feiras nacionais setoriais e quer que estas acompanhem membros do Governo em visitas oficiais ao estrangeiro.

Simon Schaefer, fundador do Factory Berlim e organizador da Startup Europe Summit, vai ser o rosto por detrás do programa de aceleração de empresas que o Governo quer lançar para ser uma referência na Europa.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)