O Comité Paralímpico da Austrália pediu esta terça-feira aos organizadores dos Jogos Rio 2016 para reforçarem a segurança, depois de uma atleta e uma fisioterapeuta terem sido assaltadas no domingo, quando passeavam de bicicleta num parque do Rio de Janeiro.

Liesl Tesch, campeã paralímpica de vela em Londres 2012 e jogadora de basquetebol em cadeira de rodas, relatou que os agressores lhe pediram dinheiro e um deles acabou por lhe apontar uma arma de fogo.

A chefe da missão paralímpica australiana, Kate McLoughlin, garantiu que Liesl Tesch e a sua fisioterapeuta, a quem os assaltantes roubaram as bicicletas, acabaram por sair ilesas do incidente, mas a “chocadas e preocupadas”.

“Estamos inquietos, os organizadores devem rever em alta os níveis de segurança, o mais rapidamente possível, antes que surjam mais situações de perigo. Já lhes escrevemos a pedir isso”, afirmou Kate McLoughlin.

Há menos de duas semanas, uma atiradora brasileira foi baleada na cabeça numa tentativa de assalto no Rio de Janeiro, enquanto conduzia na zona norte da cidade, que será palco dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos.

O ataque a Anna Paula Cotta, que se encontra hospitalizada em estado muito grave, sucedeu-se ao assalto à mão armada sofrido pelos elementos da equipa espanhola olímpica de vela, no mês de maio.

O Rio de Janeiro vai ser palco dos Jogos Olímpicos entre 05 e 21 de agosto, e recebe, de 07 a 18 de setembro, os Jogos Paralímpicos.