A Câmara dos Deputados brasileira elege esta quarta-feira o seu novo presidente, na sequência do pedido da renúncia de Eduardo Cunha, apresentado a 07 de julho.

Marcelo Castro, ex-ministro da Saúde no governo da Presidente da República com mandato suspenso, Dilma Rousseff, foi escolhido, na terça-feira, pela maioria da bancada do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) como candidato do partido.

Segundo a imprensa brasileira, o ex-governante, além de reunir apoio entre os deputados insatisfeitos com o Presidente interino, Michel Temer, também foi escolhido pela possibilidade de atrair os votos do Partido dos Trabalhadores (PT), de Dilma Rousseff, e de outros movimentos partidários da oposição.

A maior bancada da câmara baixa do Congresso é a do PMDB (66), seguida pela do PT (58).

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, já tinha dito que o executivo interino estava a trabalhar para que a coligação do governo apoie um único candidato.

A 23 horas da votação, agendada para as 16:00 horas locais (20:00 horas em Lisboa), estavam inscritos 13 candidatos, mas mais poderão fazê-lo ainda hoje, até quatro horas antes da votação.

Os 512 deputados escolhem o sucessor de Eduardo Cunha, na sequência da sua suspensão pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Eduardo Cunha é arguido na Operação Lava Jato, que investiga um grande esquema de corrupção, que envolve várias empresas, entre as quais a petrolífera estatal Petrobras.