O incêndio florestal que deflagrou na madrugada de segunda-feira em Préstimo, Águeda, e obrigou a evacuar várias aldeias, terá consumido cerca de 3.000 hectares, admitiu esta terça-feira o presidente da Câmara local.

Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara de Águeda, Gil Nadais, disse que o incêndio foi dado como dominado, cerca das 11h00, mas a partir da hora do almoço houve vários reacendimentos que estão a causar preocupação.

“Neste momento, temos meia dúzia de reacendimentos. Estamos a mobilizar todos os meios para procurar controlar o fogo e não deixar reativar o incêndio. Cada reacendimento destes é uma potencial frente”, disse Gil Nadais, adiantando que para já não há casas em risco.

O presidente da Câmara referiu ainda que praticamente todos os operacionais se mantêm no terreno. “São cerca de 300 homens que estão no terreno, só que já estão cansados, auxiliados por cerca de uma centena de viaturas e meios aéreos”, disse.

O incêndio que começou às 04h09 de segunda-feira, em Préstimo, Águeda, obrigou a evacuar várias aldeias e destruiu um armazém de materiais de construção no lugar de Á-dos-Ferreiros.