A Jaguar Land Rover (JLR) poderá ver cair por terra a possibilidade de adquirir o circuito de Silverstone. A notícia é avançada pelo britânico “The Telegraph”, com base em informações prestadas pelo British Racing Drivers Club (BRDC), actual dono da pista onde tem lugar o Grande Prémio de Inglaterra de Fórmula 1. Mas não do centro de testes aí localizado, que é propriedade da alemã Porsche.

Segundo o diário, a JLR terá apresentado uma oferta de compra do circuito na ordem dos 38,5 milhões de euros, mas as intenções do fabricante britânico terão esbarrado na recusa da Porsche em viabilizar o negócio, com a marca alemã a fazer valer o direito de veto que lhe é concedido no contrato que celebrou aquando da aquisição do centro de testes localizado nos arredores da pista.

De acordo com o BRDC, a Porsche pode, por exemplo, impedir que qualquer outro fabricante automóvel possa utilizar a pista por um período superior a 45 dias. Algo que, apesar da confiança já manifestada pela JLR de que será possível resolver a questão, uma vez concretizada a venda, poderá, afinal, não ser tão fácil quanto isso – é que a Porsche já garantiu não admitir prescindir dos seus direitos.

Ainda assim, e apesar da irredutibilidade alemã, a posição oficial da JLR é a de que as negociações com o BRDC são para continuar, embora, afiança um porta-voz do fabricante à “Autocar”, “não exista, neste momento, qualquer informação a divulgar sobre o assunto”, sendo que “todas as conversações permanecem no plano confidencial”.

Igualmente contactada pela “Autocar”, fonte da Porsche recusou-se a confirmar ou a desmentir a posição da companhia alemã no possível negócio, afirmando apenas que questões de contratos privados não são para ser debatidas em público. Ainda assim, sublinhou que o fabricante de Estugarda nunca será oposição a um possível negócio que se revele benéfico para o circuito.

A JLR poderá não ser a única interessada na compra do circuito de Silverstone. Também o multimilionário inglês Lawrence Tomlinson, proprietário da equipa de GT2 LNT, terá já apresentado uma oferta de compra da pista, embora em moldes muito diferentes: um pagamento inicial de 7 milhões de euros à BRDC, promessa de investimento financeiro na infra-estrutura, pagamento de todas as dívidas, além do pagamento de uma espécie de renda anual no valor 1,1 milhões de euros, durante os próximos 248 anos.

Recorde-se que, apesar de palco para o Grande Prémio de Inglaterra de Fórmula 1, o circuito de Silverstone acumulou, ao longo dos últimos anos, perdas no valor de 65 milhões de euros. Algo que os responsáveis só conseguiram inverter no último ano, com a gestão a terminar 2015 com um magro lucro de 1,4 milhões de euros.