O nordeste da ilha de Honshu, a maior ilha do Japão, espera hoje a chegada do tufão Lionrock, o terceiro a atingir o arquipélago em pouco mais de uma semana.

A aproximação da tempestade levou as autoridades a encerrar todas as escolas da região e forçou o cancelamento de cerca de 110 voos com destino ou origem na região e na ilha de Hokkaido.

A Agência Meteorológica do Japão (JMA, na sigla inglesa) apelou à população que esteja atenta à possibilidade de deslizamentos de terra e inundações, devido à intensa precipitação esperada nas próximas horas.

O Lionrock já provocou fortes chuvas na região de Kanto, onde fica Tóquio, apesar de ter desviado a sua rota e não se esperar que toque terra nas proximidades da capital japonesa, que há uma semana sofreu o embate do tufão Mindulle, que causou um morto e 30 feridos.

Segundo dados da JMA, o Lionrock, o décimo tufão da temporada no Pacífico, encontrava-se às 09:45 (01:45 em Lisboa) em alto mar, a cerca de 170 quilómetros da localidade costeira de Choshi, a este de Tóquio.

Apesar de ter enfraquecido, o organismo classifica o tufão como “forte” e alerta para rajadas de vento até aos 180 quilómetros por hora.

O Lionrock desloca-se para noroeste a cerca de 35 quilómetros por hora, prevendo-se que toque terra no nordeste de Honshu nas próximas horas, e que, após atravessar a ilha, cruze o Mar do Japão até alcançar de manhã a região chinesa da Manchúria.