Doze soldados egípcios foram hoje mortos num ataque a um posto de controlo no norte da península do Sinai, onde as autoridades combatem o ramo local do grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico (EI), anunciou o exército.

Os soldados foram atingidos por morteiros e ‘rockets’, precisaram responsáveis da polícia e das equipas de socorro, citados pela agência francesa AFP.

“Elementos terroristas atacaram um posto de controlo no norte do Sinai. Os confrontos fizeram 12 mortos e seis feridos” nas fileiras das forças armadas, disse o porta-voz do exército em comunicado, acrescentando que “foram mortos 15 terroristas”.

O ataque ocorreu na região de Bir al-Abd, uma zona relativamente poupada à violência a oeste de Al-Arich, capital do norte do Sinai, indicaram os responsáveis.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Atentados ‘jihadistas’ no norte do Sinai visam quase diariamente as forças de segurança, desde que o exército destituiu o Presidente islamita Mohamed Morsi, em 2013.

Segundo o Governo, centenas de polícias e soldados morreram em atentados perpetrados pelos ‘jihadistas’, que também atacam, por vezes, a capital egípcia, Cairo, e o delta do Nilo.

No início deste mês, cinco polícias foram também mortos por homens armados que abriram fogo sobre o veículo em que seguiam, em Al-Arich.

Em outubro de 2015, o EI reivindicou um atentado bombista contra um avião de turistas russos após a sua descolagem da estância balnear de Charm el-Cheikh, no leste do país, fazendo 224 mortos.