Manhattan, Nova Iorque, 3 de Abril de 1973. Em plena 6ª avenida um homem caminha pelo passeio e vai falando sozinho com um aparelho encostado ao ouvido.

Foi a primeira chamada de telefone celular feita por Martin Cooper, considerado o pai do telemóvel. Com o DeLorean ainda quentinho, e a deitar fumo, fecho a porta e sigo viagem com este “Marty” Cooper em direção a 1876.

Vamos buscar Alexander Bell que nesse ano realizou a primeira chamada de telefone fixo entre Cambridge e Boston. De regresso ao futuro ainda paramos em 1991 para apanhar Tim Berners-Lee que publicou a primeira página online, com uma breve explicação sobre o conceito da World Wide Web e as possibilidades de criar um navegador para aceder a dados num servidor remoto, abrindo o caminho ao universo dos serviços baseados na Cloud.

Esta viagem no tempo reúne os três protagonistas da história das tecnologias de comunicação para enquadrar o serviço One Net introduzido pela Vodafone em 2010, integrando a experiencia de utilização dos serviços fixo, móvel e internet, através de uma arquitetura assente na Cloud. Parece que pegaram nos conceitos de Cooper, Bell e Berners-Lee e os transformaram numa ideia única. A verdade é que este serviço, apesar de estar ter um histórico considerável, está sempre em evolução de forma a acompanhar as crescentes necessidades do mercado.

one_net_landing

O Vodafone One Net é uma solução integrada, na Cloud, que reúne num único serviço as comunicações fixas e móveis, incluindo funcionalidades de Central Telefónica e oferecendo ainda ferramentas de colaboração como e-mail empresarial, edição, armazenamento e partilha de documentos.

Como refere António Reis Silva, Diretor de Serviços Empresariais da Vodafone, os fatores críticos de sucesso deste serviço são “a integração do serviço fixo com o serviço móvel sem necessidade de investimento inicial nem manutenção, a elevada disponibilidade, a simplicidade de gestão e a escalabilidade. A solução está preparada para crescer com o negócio do cliente porque o sistema não tem um limite definido. Para dar um exemplo, na Vodafone temos mais de seis mil extensões.”

O sistema adapta-se às necessidades de qualquer empresa, quer em termos de dimensão (número de utilizadores fixos ou móveis, ou número de instalações), quer em termos de funcionalidades. Filas de espera, IVR, reencaminhamentos e serviços de conferência são algumas das funcionalidades que até hoje apenas estavam acessíveis nas Centrais Telefónicas mais avançadas, e que o Vodafone One Net oferece.

Atendendo à constante evolução da tecnologia, António Reis Silva conclui: “Continuaremos a investir para que o Vodafone One Net continue a proporcionar a melhor experiência integrada de comunicação e de colaboração.”

Numa economia competitiva, as organizações precisam constantemente de desafiar os limites para se diferenciarem na entrega de um serviço de qualidade superior ao cliente e o Vodafone One Net oferece essa oportunidade. O Automóvel Clube de Portugal (ACP), a maior associação do país, que conta com o serviço Vodafone One Net para ligar as 27 delegações em todo o território, é um excelente exemplo.

Para Damien Santos, Diretor de Tecnologia e Desenvolvimento (T&D) do ACP, o Vodafone One Net é “uma solução de futuro, está baseada na Cloud e não obriga a investimentos em termos de infraestrutura do nosso lado. Deixamos isso para os fornecedores de serviços de comunicações que têm melhores competências”. Para além disso, “em vez de ter servidores a aquecer o ambiente em 27 cidades do país, passo a ter tudo num só local, num data center do operador que está a dimensionar o serviço à medida e nos vai garantir a alta disponibilidade.”

Para melhor se perceber o valor desta solução baseada na Cloud, o ACP beneficia de um serviço equivalente a uma Central Telefónica, que interliga os utilizadores fixos e móveis de todo o país, e que permite, entre outras coisas “realizar chamadas entre as delegações e a sede, entre os vários colaboradores, sem custos e com fiabilidade. Além disso, o ACP não precisou de investir em nenhuma infraestrutura tecnológica porque ela é assegurada pela Vodafone”, acrescenta Damien Santos.

O Diretor de T&D do ACP faz um balanço extremamente positivo da disponibilidade do Vodafone One Net: “Em cinco anos as únicas falhas foram um cabo e um terminal que avariou. Mas foram trocados imediatamente pela Vodafone num serviço muito rápido e eficiente. Estamos muito satisfeitos.”

ondenetv1

Para o ACP, os aspetos cruciais passam pela resiliência e pela fiabilidade do serviço, características muito importantes para uma organização que vive sobre rodas e que, em alguns domínios de atividade, não pode estar sujeita a interrupções. “Em termos de custo, segurança, gestão no dia-a-dia, estão sempre a evoluir e introduzir funcionalidades que vão sendo integradas”, essenciais para Damien Santos que faz um resumo das vantagens do Vodafone One Net para o ACP: “Simplicidade de administração, facilidade de implementação, gestão e controlo de custos e o nível do serviço prestado pela Vodafone que nos dá a garantia de assistência técnica, sempre prontos para responder a qualquer falha e também na troca de equipamentos”.

A simplicidade de configuração é muito importante, porque “as equipas de IT precisam de estar focadas em projetos mais complexos e críticos para o ACP”, referiu o Diretor de T&D, acrescentando que está em curso o processo de “massificar o One Net dentro do ACP, vamos avançar com o deploy do One Net para a área de back office”.

acp

Damien Santos, Diretor de Tecnologia e Desenvolvimento / D.R.

Tudo foi feito para que a gestão do sistema seja simples: novos utilizadores podem ser criados apenas alterando a configuração no portal de administração, que permite a configuração de todas as funcionalidades do sistema. Algumas destas podem, inclusivamente, ser definidas pelo utilizador, como por exemplo a notificação de ausência por motivo de férias ou reunião.

A oferta está organizada para que uma empresa possa dar a cada colaborador uma extensão fixa e/ou um número móvel, bem como o conjunto de ferramentas de colaboração e produtividade que necessita para editar, enviar e guardar documentos. Inclui ainda o e-Phone, uma aplicação que pode ser instalada em qualquer computador e em dispositivos iOS e Android, que permite ao cliente usar o serviço de voz a partir de qualquer localização.

O diretor de T&D do ACP refere ainda que, na sua perspetiva, o One Net permite uma coisa muito simples: “Eu não estou associado a um espaço físico quando estou na rede, os equipamentos podem estar num local e posso atender a chamada em qualquer ponto do país. Isso permite resolver dilemas de continuidade de negócio em caso de incidentes, uma vantagem competitiva numa organização como o ACP que tem de estar always on”.

O facto de ser uma solução Cloud permite a disponibilização deste conjunto de funcionalidades a preços muito atrativos face aos custos de aquisição e manutenção de soluções convencionais, com uma elevada taxa de disponibilidade, sublinha o gestor do produto da Vodafone, Rui Gramacho. “Para ter uma solução com a mesma resiliência na tecnologia tradicional, uma empresa teria de ter pelo menos dois PABX em localizações diferenciadas com uma ligação síncrona e imediata entre os dois… gerir este processo dá trabalho e ocupa pessoas, e em caso de avaria qual seria o tempo de reposição? Tudo isto representa custos associados que o Vodafone One Net poupa ao cliente”, conclui.