O presidente do Governo de gestão espanhol, Mariano Rajoy, qualificou esta segunda-feira, em Madrid, de “muito razoável” a decisão tomada no domingo pelo PSOE de se abster na sua investidura para chefiar um novo executivo, pondo fim a 10 meses de impasse político.

Mariano Rajoy, que também é líder do Partido Popular, defendeu que Espanha tem “um grande futuro” se houver “vontade” de todas as partes.

“Há coisas que são boas, sobre as quais se pode falar”, disse Rajoy, depois de ter comentado ter lido a resolução aprovada no Comité Federal do PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol).

O órgão mais importante entre congressos dos socialistas decidiu no domingo que o partido deve votar “não” na primeira votação à investidura de Mariano Rajoy e abster-se na segunda.

A posição do PSOE viabiliza a formação de um novo executivo liderado por Mariano Rajoy depois de dez meses de impasse político.

O parlamento deverá reunir-se a partir de quarta-feira, esperando-se que uma primeira votação na quinta-feira chumbe a investidura do líder do PP que, no entanto, passaria na segunda votação, prevista para sábado, com a abstenção dos deputados socialistas.

O rei Felipe VI realiza estas segunda e terça-feira uma ronda de consultas com todos os partidos com assento no parlamento para verificar se há condições para apresentar Rajoy como candidato à investidura.

O PP foi o partido mais votado em 20 de dezembro de 2015 e em 26 de junho último, mas sem maioria absoluta ou os apoios necessários para formar Governo.